Empresa de private equity IG4 conclui aquisição da CLI

Getty Images
Getty Images

Negócio está avaliado em US$ 240 milhões

O fundo de private equity IG4 concluiu ontem (23) a aquisição da empresa brasileira de logística CLI, que opera um dos maiores terminais de grãos do país no porto de Itaqui, no Maranhão, como parte de um consórcio.

O negócio está avaliado em cerca de US$ 240 milhões, incluindo a aquisição de dívida do acionista controlador da CLI, CGG Trading, e reestruturação de dívida.

LEIA MAIS: UE e Reino Unido chegam a acordo comercial

Os credores da CGG Trading eram Banco Bradesco SA, Banco Votorantim, Banco Santander Brasil, Banco do Brasil SA, Rabobank, ABN Amro, Banco da China, Credit Suisse e Metlife Inc, segundo o fundo.

O terminal Tegram, no Maranhão, é um dos maiores terminais de exportação de soja e farelo de soja do país. Além da CLI, também tem como sócios Glencore, Amaggi e Louis Dreyfus Company, entre outros.

Helcio Tokeshi, diretor administrativo da IG4, assumirá o comando da CLI como CEO. Entre suas metas está aumentar o uso do terminal, que acaba de dobrar sua capacidade de armazenamento para 15 milhões de toneladas de soja, disse ele em entrevista.

O IG4 financiou a compra com recursos de seu segundo fundo de infraestrutura, que levantou US$ 231,5 milhões para se concentrar em oportunidades especiais na América Latina.

A decisão do IG4 ocorre no momento em que a safra de soja do Brasil 2019/20 bateu um recorde de 124,8 milhões de toneladas e a safra de 2020/21 deve ser ainda maior. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyri[email protected]).