BRF habilita duas novas plantas para exportação de frango e suínos à África do Sul

BRF passa a ter vinte unidades habilitadas para exportar para a África do Sul, com as aprovações anunciadas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Rodolfo Buhrer/Reuters
Rodolfo Buhrer/Reuters

BRF passa a ter vinte unidades habilitadas para exportar para a África do Sul, com as aprovações anunciadas

Acessibilidade


A BRF recebeu habilitação da África do Sul para duas novas unidades da companhia e poderá exportar carne de frango da planta de Lajeado (RS) e de suínos por Lucas do Rio Verde (MT), informou a empresa à Reuters hoje (28).

Com as aprovações, a BRF passa a ter 20 unidades habilitadas para exportar ao país africano, que é o quarto maior comprador da proteína de aves do Brasil e 14º de suínos, em ascensão.

LEIA TAMBÉM: Carne cultivada entra no cardápio da BRF

A companhia destacou em comunicado que a unidade de Lucas do Rio Verde já era habilitada para embarcar frangos e agora terá mais uma opção de produto para venda.

“Com cerca de 60 milhões de habitantes, a África do Sul apresenta a mais alta renda per capita em seu continente, sendo considerado um dos países de economia emergente”, afirmou a BRF sobre o potencial econômico africano.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O gerente executivo de Relações Institucionais Internacionais da BRF, Luiz Tavares, disse em nota que as habilitações vão em linha com os planos da empresa de se fortalecer em mercados estratégicos.

“Consolidar nossa presença em uma das maiores economias do continente (africano) é fundamental para expandirmos e diversificarmos nosso portfólio globalmente”, afirmou o executivo.

Dados da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) mostram que somente no primeiro trimestre de 2021 o país embarcou 78,4 mil toneladas de carne de frango para a África do Sul, avanço de 32% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Com as vendas de aves, a receita acumulada entre janeiro e março somou US$ 42,7 milhões, avanço de 42%.

No caso de suínos, o Brasil exportou apenas 1,8 mil toneladas ao país africano no trimestre, mas este volume representou um salto de 150% no comparativo anual. A receita subiu 189%, para US$ 5,1 milhões, de acordo com a ABPA. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no

Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App

Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: