Frigol deixa de abater gado em Goiás

Empresa frigorífica informou que a decisão se deu por conta do mercado consumidor interno enfraquecido.

Vera Ondei
Compartilhe esta publicação:
Gmnicholas/Getty Images
Gmnicholas/Getty Images

A Frigol afirmou que de agora para a frente o foco está na exportação de carne bovina

Acessibilidade


A Frigol, empresa frigorífica de abate de bovinos, anunciou hoje (5) que encerrará as operações na unidade de Cachoeira Alta, município a 350 km de Goiânia. Arrendada desde novembro de 2017 da Rodopa Alimentos, a unidade com capacidade para abater 600 bovinos/dia será devolvida. De acordo com nota, a Frigol informa que a decisão se deu por conta do mercado consumidor interno enfraquecido e que de agora para a frente o foco está na exportação de carne bovina, com abates concentrados nas demais unidades. Com receita de R$ 1,9 bilhão em 2019, a Frigol está na lista das 100 Maiores Empresas do Agro, da Forbes.

“A decisão de encerrar nossas atividades em Cachoeira Alta foi baseada exclusivamente em análises técnicas”, afirma Orlando Negrão, diretor de operações. Quando assumiu a unidade, a Frigol previa investimentos da ordem de R$ 5 milhões em melhorias de infraestrutura e equipamentos, com geração de cerca de 400 empregos.

LEIA MAIS: As 100 maiores empresas do agronegócio brasileiro em 2020

Além de atuar no mercado interno, a empresa possui frigoríficos habilitados para exportações em Lençóis Paulista, no interior de São Paulo, onde está a sede, mais São Félix do Xingu e Água Azul do Norte, ambos no Pará. As três unidades possuem habilitações para exportação a cerca de 60 países da América do Sul, Europa, Oriente Médio, Ásia e África.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: