Projeto aprovado pelo Senado autoriza indústria veterinária a produzir vacina contra a Covid-19

Setor dispõe de três plantas que rapidamente podem ser adaptadas para o nível de biossegurança exigido na produção de vacina de uso humano

Redação
Compartilhe esta publicação:
AgustinMarcarian/Reuters
AgustinMarcarian/Reuters

Indústria veterinária dispõe de unidades que rapidamente podem começar a produzir o imunizante contra a Covid-19

Acessibilidade


O Senado aprovou hoje (27) projeto que autoriza o uso de fábricas de imunizantes de uso veterinário na produção de vacinas contra a Covid-19. O objetivo do Projeto de Lei 1.343/2021, do senador Wellington Fagundes (PL-MT), visa facilitar e estimular a utilização dessas plantas industriais para ampliar a oferta de doses de vacina e acelerar o processo de imunização da população brasileira.

Aprovada com emendas apresentadas por senadores e sugestões do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a proposta segue para a Câmara dos Deputados. Conforme o texto, os parques fabris de imunizantes animais deverão cumprir todas as normas sanitárias e exigências de biossegurança próprias dos estabelecimentos destinados à produção de vacinas para humanos. O controle e fiscalização serão feitos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

CONFIRA: Para cada real investido, Embrapa devolve R$ 18 em benefícios à sociedade

Segundo o Sindan (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), a indústria de saúde animal dispõe de três plantas que podem ser facilmente adaptadas para o nível de biossegurança exigido para a produção de vacina de uso humano. Se o projeto virar lei, laboratórios que fabricam vacinas contra a febre aftosa poderão colaborar com a Fiocruz e o Instituto Butantan na produção de imunizantes.

De acordo com Fagundes, a indústria veterinária domina a tecnologia de produção de vacinas inativadas e é autossuficiente na produção do IFA (insumo farmacêutico ativo). “Essa tecnologia pode produzir o IFA 100% nacional. A Anvisa já deu o sinal verde. Ela faria o controle de qualidade, como é feito hoje com o IFA importado”, diz. A Anvisa deverá emitir sua decisão sobre o projeto no prazo de sete dias. (Com Agência Senado)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: