Abate de suínos e frangos segue firme no 1º trimestre, mas bovinos cai 10%, diz IBGE

Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Campo de criação de gado no Pará

O abate de bovinos recuou 10,3% no primeiro trimestre, enquanto o de suínos aumentou 4,9% e o de frangos teve alta de 2,4% na relação com o mesmo período de 2020, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ao anunciar resultados preliminares da pesquisa de produção animal.

Na comparação com o quarto trimestre de 2020, o abate de bovinos caiu 10,5%, enquanto o de suínos cresceu 0,2% e o de frangos se manteve estável, acrescentou o instituto em nota, sem detalhar os motivos.

LEIA TAMBÉM: Safra de café do Brasil em 2021 pode recuar 0,6%, prevê IBGE

A demanda por carnes do Brasil é impulsionada, em geral, principalmente pelas exportações, enquanto o segmento de bovino vive uma situação de baixa oferta de animais para abates e preços em patamares recordes, o que levou frigoríficos até a suspenderem operações, conforme informou a “Reuters”.

O IBGE disse ainda que a aquisição de leite foi de 6,52 bilhões de litros, com alta de 1,3% em relação ao primeiro trimestre de 2020 e queda de 3,3% contra o período imediatamente anterior.

O país produziu 972,94 milhões de dúzias de ovos de galinha no primeiro trimestre, quedas de 0,1% na comparação anual e de 1,8% em relação ao trimestre imediatamente anterior. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).