ADM construirá nova unidade de soja para atender demanda por alimentos e combustíveis

VCG/Getty
VCG/Getty

Um “boom” do diesel renovável pode refletir também um impacto profundo no setor agrícola, por aumentar a demanda por oleaginosas, como soja e canola.

A companhia norte-americana de commodities agrícolas ADM afirmou hoje (10) que planeja construir uma nova instalação de processamento de soja na Dakota do Norte, para atender à alta demanda por alimentos e combustíveis renováveis.

Empresas estão contando com o aumento da demanda por alimentos, à medida que restaurantes e o setor de turismo se recuperam da pandemia de Covid-19, e por matérias-primas para produção de biocombustíveis, incluindo diesel renovável.

LEIA TAMBÉM: Importação de soja pela UE em 2020/21 soma 12,95 milhões de toneladas até 9 de maio

Um “boom” do diesel renovável pode refletir também um impacto profundo no setor agrícola, por aumentar a demanda por oleaginosas, como soja e canola.

Os preços da soja atingiram uma máxima em mais de seis anos, uma vez que exportações e esmagamento recordes devem encolher os estoques da oleaginosa nos Estados Unidos.

O complexo de US$ 350 milhões para esmagamento e refino, com sede em Spiritwood, na Dakota do Norte, terá a capacidade de processar 150 mil bushels de soja por dia. A expectativa é de que as instalações estejam completas antes da colheita de 2023.

A ADM também planeja investir cerca de US$ 25 milhões para expandir a capacidade de refino e armazenagem de sua instalação em Quincy, Illinois. A expectativa é de que a capacidade expandida esteja em operação no primeiro trimestre de 2022.

A rival Cargill havia afirmado em março que expandiria a capacidade de processamento de soja em duas grandes fábricas no Meio-Oeste dos EUA, além de aumentar a eficiência em outras cinco instalações no país. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).