Anec confirma previsão de queda na exportação de soja em maio, depois do recorde de abril

Se confirmado, o volume também representará um recuo em relação aos embarques de maio do ano passado

Redação
Compartilhe esta publicação:
Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

As exportações brasileiras de soja devem recuar para 11,96 milhões de toneladas em maio

Acessibilidade


As exportações brasileiras de soja devem recuar para 11,96 milhões de toneladas em maio, após o recorde histórico de embarques registrado em abril de 15,63 milhões de toneladas, mostraram hoje (4) os dados da Anec (Associação Nacional dos Exportadores de Cereais).

Se confirmado, o volume também representará um recuo em relação aos embarques de maio do ano passado, quando o país exportou 13,86 milhões de toneladas.

LEIA TAMBÉM: Por causa da China, exportação de soja do Brasil deve cair em maio, prevê AgRural

A informação da Anec confirma a reportagem publicada mais cedo pela Reuters, com base em dados da agência marítima Cargonave.

O total exportado em abril veio próximo do limite máximo estimado pela entidade, que previa de vendas externas de 14 milhões a 15,78 milhões de toneladas da oleaginosa, com base na programação de embarques dos navios nos portos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A associação também estimou 1,67 milhão de toneladas em exportações de farelo de soja em maio, queda ante o total de 1,77 milhão embarcado no mesmo intervalo de 2020, mas um avanço em relação ao 1,57 milhão visto em abril.

Para o milho, a Anec ainda não projetou nenhum embarque para este mês. Em maio do ano passado, o país exportou 29,7 mil toneladas do cereal e em abril deste ano, 29,9 mil. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: