Brasil passa a ter 20% de bovinos livres de aftosa sem vacinação, diz ministra

Tereza Cristina, responsável pela pasta da Agricultura, definiu acontecimento como "dia histórico para a pecuária do Brasil".

Redação
Compartilhe esta publicação:
Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Tereza Cristina, responsável pela pasta da Agricultura, definiu acontecimento como “dia histórico para a pecuária do Brasil”

Acessibilidade


O Brasil, maior exportador global de carne bovina, recebeu da OIE (Organização Mundial da Saúde Animal) o reconhecimento de novas áreas livres de febre aftosa sem vacinação, incluindo os Estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia e parte do Amazonas e Mato Grosso, disse hoje (27) a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

“Dia histórico para a pecuária do Brasil”, escreveu ela em mensagem no Twitter, acompanhada de um vídeo junto ao presidente Jair Bolsonaro.

LEIA MAIS: Governo cita Japão e Coreia entre prioridades em carne após novo status sanitário

“Isso é um marco na nossa pecuária, 20% de nosso rebanho será livre de aftosa sem vacinação, podendo alcançar mercados que pagam mais”, disse a ministra na gravação.

O reconhecimento de áreas como livres de aftosa sem vacinação contribui para que empresas localizadas nessas regiões tenham acesso a negociações para exportação junto a mercados mais exigentes, que não aceitam o uso da vacina nos rebanhos bovinos como garantia contra a doença.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Embora não cause problemas ao ser humano, a febre aftosa pode reduzir fortemente a produtividade de um rebanho.

A meta do governo é que todo o território brasileiro seja considerado livre de febre aftosa sem vacinação até 2026.

A ministra da Agricultura destacou que o Brasil não tinha novas áreas reconhecidas pela OIE “há mais de dez anos” e disse que a notícia é motivo de comemoração.

O presidente Jair Bolsonaro comentou que o anúncio “é um marco fenomenal”, segundo o vídeo postado pela ministra.

“São divisas para nós e segurança alimentar também”, afirmou ele.

Até o momento, somente Santa Catarina, com rebanho de 4 milhões de bovinos, considerado relativamente pequeno, era reconhecido pela OIE como livre de aftosa sem vacinação. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: