Produtoras de fertilizantes chinesas vão suspender exportações em meio a oferta apertada

A China embarcou 3,2 milhões de toneladas de fosfato de diamônio no 1° semestre deste ano, além de 2,4 milhões de toneladas de ureia.

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Nacho Doce
REUTERS/Nacho Doce

A China embarcou 3,2 milhões de toneladas de fosfato de diamônio no 1° semestre deste ano, além de 2,4 milhões de toneladas de ureia

Acessibilidade


Algumas das maiores empresas de fertilizantes da China afirmaram que vão suspender exportações temporariamente para garantir ofertas no mercado doméstico, disse o órgão estatal de planejamento do país hoje (30), após os preços dos insumos em um dos maiores produtores de grãos do mundo atingirem níveis recordes.

A China é uma grande exportadora global de fosfato, tendo embarcado 3,2 milhões de toneladas de fosfato de diamônio para compradores como Índia e Paquistão no primeiro semestre deste ano, além de 2,4 milhões de toneladas de ureia, segundo dados alfandegários.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A NDRC (Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, na sigla em inglês) disse em comunicado que convocou empresas de fertilizantes para uma discussão contra o entesouramento e a especulação. O órgão não identificou as companhias envolvidas.

Analistas, porém, disseram esperar que estatais como Sinofert Holdings, Sinoagri Group, CNOOC (China National Offshore Oil Corp) e China National Coal Group estejam entre as empresas que irão restringir exportações. Nenhuma das companhias respondeu de imediato a pedidos por comentários sobre o assunto.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O movimento é o mais recente conduzido por Pequim para combater o aumento dos preços de importantes matérias-primas. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: