Safras de milho e soja nos EUA podem ser menores que o previsto

REUTERS/Ilya Naymushin
REUTERS/Ilya Naymushin

O USDA afirmou que as avaliações de bom a excelente para o milho recuaram 1 p.p., para 64%, enquanto a soja foi avaliada em 58%, 2 p.p. abaixo

A condição da safra do milho e da soja dos Estados Unidos piorou inesperadamente na última semana, com seca em áreas de produção no oeste do Rio Mississippi estressando as safras, afirmou o governo dos EUA ontem (26).

Além disso, o trigo de primavera murchou devido a uma severa seca nas planícies do norte dos EUA, com as avaliações semanais do USDA (Departamento de Agricultura dos EUA, na sigla em inglês) mostrando que a safra estava no pior estado desde 1988.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O USDA afirmou que as avaliações de bom a excelente para o milho recuaram 1 ponto percentual, para 64% na semana encerrada em 25 de julho, principalmente devido aos declínios em Estados como Iowa e Dakota do Norte. A safra de soja foi avaliada em 58% de boa a excelente, 2 pontos percentuais abaixo da semana anterior.

A média das estimativas dos analistas em uma pesquisa da Reuters apontou avaliações de bom a excelente para o milho a 65%. As previsões variaram de 64% a 66%, com mediana de 65%.

A avaliação bom a excelente do USDA para a soja foi esperada em 60%, com estimativas variando entre 59% a 62%. A estimativa mediana da soja também foi de 60%.

O trigo de primavera foi avaliado 9% bom a excelente, 2 pontos percentuais abaixo da semana anterior e 1 ponto percentual abaixo da média prevista pelos analistas. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).