Boehringer Ingelheim e Lifebit vão utilizar inteligência artificial para detectar surtos de doenças em animais

Parceria vai monitorar e interpretar fontes científicas e outras informações em tempo real, rastreando dados relacionados a enfermidades

Redação
Compartilhe esta publicação:
 AndreyPopov/Gettyimages
AndreyPopov/Gettyimages

Inteligência artificial vai ajudar empresa a rastrear os possíveis surtos de enfermidades

Acessibilidade


A Boehringer Ingelheim Saúde Animal, segunda maior empresa de saúde animal do mundo, com vendas líquidas de € 4,1 bilhões no ano passado e presença em cerca de 150 países, anunciou hoje (11) uma parceria com a Lifebit Biotech, companhia de bioinformática e análise de dados biomédicos, com sede em Londres.

A parceria envolve o uso de IA (inteligência artificial) como meio para detecção e notificação antecipada de surtos de doenças usando dados coletados de publicações científicas e pesquisas de fontes abertas. Utilizando a plataforma Lifebit Real, os insights sobre os surtos de doenças infecciosas mais recentes permitem que os esforços de pesquisa e desenvolvimento sejam devidamente priorizados.

LEIA TAMBÉM: Conheça a fazendeira Beatriz Biagi Becker e seus fantásticos cavalos terapêuticos

“Acertamos essa parceria estratégica com a Lifebit para promover a IA, com o objetivo de monitorar e interpretar fontes científicas e outras em tempo real, permitindo-nos rastrear dados relacionados a doenças animais”, diz Eric Haaksma, doutor e chefe de inovação global da Boehringer. “Isso, por sua vez, irá acelerar o processo de detecção, uma vez que as grandes quantidades de informações científicas relevantes que estão sendo produzidas em muitos níveis não podem ser coletadas e analisadas manualmente”.

Cientistas e pesquisadores das duas organizações trabalharão lado a lado para combinar evidências e os mais recentes algoritmos de IA para identificar surtos de doenças infecciosas e responder de acordo com a necessidade. A plataforma usa recursos analíticos avançados para notificar automaticamente seus usuários sobre surtos relevantes, como a disseminação de doenças com potencial de ultrapassar fronteiras ou o surgimento de novos patógenos, no caso da saúde humana o atual surto da Covid-19. Em saúde animal, é a PSA (Peste Suína Africana) um flagelo para os países asiáticos, principalmente na China. A PSA tem se alastrado pelo mundo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O sistema que vai nortear a parceira Boehringer-Lifebit é construído em torno de uma arquitetura de aprendizagem ativa: com a inserção de dados mais relevantes, a sua precisão aumenta.

Por exemplo, diariamente são produzidos e publicados mais de 500 milhões de tweets, três milhões de notícias e milhares de artigos. Com uma quantidade de dados tão vasta, é um desafio reunir manualmente todas as informações úteis. O sistema da Lifebit auxilia neste ponto combinando técnicas de coleta de dados de precisão com algoritmos de IA de ponta proprietários para identificar sinais de todos os tipos de dados.

“Na Lifebit, nós prosperamos conectando dados biomédicos de todo o mundo a insights de dados RWE automatizados baseados em IA para que as empresas na vanguarda da ciência, como a Boehringer Ingelheim, possam tomar decisões mais rápidas e inteligentes, fornecendo insights que mudam vidas”, afirma Maria Chatzou-Dunford, também doutora e CEO da Lifebit Biotech.

Para Fábio Barone, head da divisão de saúde animal da Boehringer no Brasil, “os investimentos em P&D nos permitem oferecer produtos e soluções de alta tecnologia que ajudam a elevar os índices zootécnicos dos animais de produção, a interação das famílias com os pets e a detectar possíveis zoonoses, como é o caso desta parceria”. Ele cita o aporte da empresa, de € 3,7 bilhões em P&D, no ano de 2020.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: