Índia anuncia plano de US$ 1,48 bilhão para ampliar produção de oleaginosas

O primeiro-ministro Narendra Modi informou que a medida visa tornar o país autossuficiente no mercado

Redação
Compartilhe esta publicação:
 REUTERS/Adnan Abidi
REUTERS/Adnan Abidi

O primeiro-ministro Narendra Modi visa tornar o país autossuficiente em óleos vegetais

Acessibilidade


A Índia irá lançar um plano de 110 bilhões de rupias (US$ 1,48 bilhão) para impulsionar a produção doméstica de oleaginosas, visando tornar o país autossuficiente em óleos vegetais, disse o primeiro-ministro Narendra Modi hoje (9), em movimento que reduziria as custosas importações dos produtos.

A Índia é a maior importadora de óleos vegetais do mundo, gastando em média de US$ 8,5 bilhões a US$ 10 bilhões por ano com as aquisições.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O país produz menos de metade dos cerca de 24 milhões de toneladas de óleos vegetais que consome anualmente. O restante é importado, com compras de óleo de palma de Indonésia e Malásia; óleo de soja de Brasil e Argentina; e óleo de girassol de Rússia e Ucrânia.

A Índia exporta commodities agrícolas como açúcar e arroz para os mercados globais, mas a produção local de oleaginosas é, em média, quase seis vezes menor do que a de arroz e trigo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O governo investirá mais de 110 bilhões de rupias por meio da Missão Nacional de Oleaginosas e Óleo de Palma para fornecer aos produtores tudo o que for possível, incluindo melhores sementes e tecnologias”, disse Modi pelo Twitter.

“Em momento em que a Índia emerge como uma grande exportadora de produtos agrícolas, não devemos depender de importações para nossas necessidades de óleos vegetais”, acrescentou o primeiro-ministro. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: