Café robusta fecha em alta na ICE, açúcar também avança

Preços são impulsionados por ganhos nos mercados de commodities; grão alcança US$ 2.160 a tonelada.

Redação
Compartilhe esta publicação:
José Roberto Gomes/Reuters
José Roberto Gomes/Reuters

O café robusta para novembro fechou em alta de US$ 8 em US$ 2.160 a tonelada

Acessibilidade


Os contratos futuros do café robusta negociados na ICE fecharam em alta hoje (21), após atingirem a máxima de quatro anos na sessão anterior, enquanto os preços do açúcar também subiram, impulsionados por ganhos amplos nos mercados de commodities.

O café robusta para novembro fechou em alta de US$ 8 em US$ 2.160 a tonelada. A segunda posição da marca de referência atingiu a máxima de quatro anos US$ 2.178 ontem (20). 

LEIA MAIS: Está confirmado: seca e geadas cortarão a próxima safra de café do Brasil

O mercado continuou a obter suporte de uma recuperação na demanda por café robusta associada ao alto custo dos grãos de arábica e interrupções no fluxo de suprimentos do Vietnã devido à escassez de frete de contêineres.

Já o café arábica para dezembro avançou de US$ 0,75  para US$ 1,8335 por libra-peso. Uma menor produção no Brasil, impulsionada em parte pela seca e geadas, ajudou a restringir a oferta do grão. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A produção de café do Brasil deve cair 25,7% neste ano em comparação com a safra recorde de 2020, quando foram produzidas 63 milhões de sacas, segundo a Conab. A brasileira Cooxupe, maior cooperativa de café do mundo e o principal exportador do país, espera danos significativos à safra de 2022 devido às geadas que atingiram os campos em julho.

O açúcar bruto, por sua vez,  fechou em alta de  US$ 0,11 para US$ 0,1897 por libra-peso, em uma recuperação parcial da queda vista na sessão anterior.

Operadores disseram que o mercado foi fortemente influenciado pelas tendências nos mercados financeiros mais amplos, com o apetite pelo risco impulsionado pelo sentimento de que o contágio da crise da empreendedora chinesa Evergrande seria limitado. 

“A recente queda nos preços do açúcar bruto fez com que as especulações liquidassem as posições compradas. Se o mercado não conseguir ir acima de US$ 0, 19 a US$ 0,195 a libra-peso, eles continuarão liquidando – baixistas no curto/médio prazo”, disse o analista de açúcar Claudiu Covrig em nota.

O açúcar branco para dezembro avançou US$ 3,30 , alcançando  US$ 501,20  a tonelada.(Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: