Anec eleva previsão para as exportações de soja e milho do Brasil em outubro

Os embarques do cereal de janeiro a outubro estão estimados em 14,64 milhões de toneladas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Marcelo Rodrigues Teixeira/Reuters
Marcelo Rodrigues Teixeira/Reuters

Anec elevou sua projeção semanal para exportações de milho para 1,968 milhão

Acessibilidade


As exportações de soja do Brasil devem alcançar 2,973 milhões de toneladas em outubro, estimou hoje (13) a Anec (Associação Nacional dos Exportadores de Cereais) ao elevar sua projeção semanal em 295 mil toneladas.

Se confirmado, o volume baseado na programação dos navios nos portos também estará acima dos 2,172 milhões de toneladas enviados ao exterior em outubro do ano passado, segundo a Anec, e levará o embarque acumulado em dez meses de 2021 a 81,94 milhões de toneladas.

LEIA TAMBÉM: Embrapa usa nanotecnologia para desenvolver fertilizante de base florestal

No ano passado inteiro, o Brasil –maior produtor e exportador de soja– embarcou 82,29 milhões de toneladas da oleaginosa.

Para o milho, a associação também elevou sua estimativa semanal de 1,420 milhão de toneladas em outubro para 1,968 milhão.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Apesar do avanço, o volume ainda representará uma queda brusca em relação aos 4,534 milhões de toneladas de milho exportados no mesmo mês de 2020, devido à quebra na segunda safra do cereal por problemas climáticos.

Com isso, os embarques de janeiro a outubro estão estimados em 14,64 milhões de toneladas, enquanto no ano passado completo os brasileiros exportaram 33,4 milhões de toneladas do cereal, segundo a associação.

Já para o farelo de soja, a Anec projetou 1,39 milhão de toneladas para outubro, acima de 1,2 milhão de toneladas visto na semana passada e de 1,331 milhão exportado um ano antes.

De janeiro a outubro, a associação estima 14,15 milhões de toneladas. Em 2020, o Brasil embarcou 16,8 milhões de toneladas do subproduto da soja. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: