Exportação de carne bovina do Brasil pode crescer 2% em 2021 apesar de China

O Brasil já vinha exportando a proteína ao longo de todo o ano, até agosto, antes da paralisação de negócios com a China.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Criação de gado em Paulínia (SP)

Acessibilidade


As exportações brasileiras de carne bovina devem avançar 2% neste ano, para 2 milhões de toneladas, estimou hoje (20) a consultoria Athenagro, apesar da suspensão temporária de embarques para o principal comprador, a China.

Isso porque o Brasil já vinha exportando a proteína ao longo de todo o ano, até agosto, antes da paralisação de negócios com a China no início de setembro, em um patamar mais elevado que o registrado em 2020.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Para o CEO da Athenagro, Maurício Palma Nogueira, a suspensão chinesa é uma questão pontual. A medida veio após a confirmação de dois casos atípicos da doença “mal da vaca louca”, que não oferecem risco ao rebanho.

“Estamos em um ritmo mais forte [de exportação no ano]… Na hora que projetamos tudo isso, a gente acredita que vá ter esse aumento nos embarques de 2021”, afirmou o executivo durante coletiva de imprensa sobre a expedição Rally da Pecuária, da qual a consultoria é parceira. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Compartilhe esta publicação: