Fundação Bunge anuncia ganhadores de seu prêmio na edição 2021

Prêmio foi criado pela multinacional de alimentos para destacar méritos científico, literário e artístico do país.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Igo Estrela/CNA
Igo Estrela/CNA

Prêmio da Fundação Bunge destaca méritos científico, literário e artístico do país

Acessibilidade


Aconteceu hoje (6), um encontro para apresentar os ganhadores do 65º Prêmio Fundação Bunge, que destaca méritos científico, literário e artístico do país. Os contemplados desta edição  desenvolveram temas como Impactos das mudanças climáticas na produção de alimentos, em Ciências Agrárias; e Prevenção de doenças infecciosas, na área de Ciências Biológicas, Ecológicas e da Saúde. A fundação é mantida pela multinacional do setor de alimentos, dona de marcas como Soya, Primor e Salada, além de ingredientes como óleos, gorduras, farinhas de trigo, pré misturas e cremes.

“É um prêmio que, acima de tudo, proporciona aos contemplados o amplo reconhecimento público tão merecido pelas contribuições relevantes que eles trazem a toda sociedade”, diz Cláudia Buzzette Calais, diretora-executiva da Fundação Bunge. “Historicamente, a Bunge sempre esteve muito ligada à inovação, como exemplo podemos lembrar que foi a primeira empresa a introduzir o óleo vegetal comestível como alternativa à banha de porco.” Os contemplados recebem um prêmio no valor de R$ 150 mil. Já os premiados na categoria juventude levam R$ 60 mil cada.

LEIA TAMBÉM: Roberto Rodrigues: As cooperativas em ascensão

O primeiro tema, Impactos das mudanças climáticas na produção de alimentos, foi desenvolvido pelo pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária e professor de mestrado da FGV/FGVAgro, Eduardo Delgado Assad, que é mestre e doutor em manejo e ciências da água pela Universidade de Montpellier, França. Especializou-se em sensoriamento remoto no CNES (Centre National d´Études Spatiales) em Toulouse. Na Embrapa é pesquisador da Embrapa desde 1987 atuando inicialmente no Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados (CPAC). Liderou e coordenou a implantação do Zoneamento Agrícola de Riscos Climáticos no Brasil, primeira política pública brasileira que inclui as mudanças climáticas em suas indicações técnicas. Em 2007, a convite do governo britânico, coordenou uma pesquisa para avaliar os impactos econômicos das mudanças climáticas na agricultura tropical, analisando nove culturas. Os estudos mostraram a alta fragilidade de nossa agricultura frente ao aquecimento global e as ações de adaptação e de mitigação a serem tomadas a partir daquele momento para minimizar os efeitos do clima sobre a segurança alimentar.

No segundo tema, Prevenção de doenças infecciosas, os premiados foram Ricardo Tostes Gazzinelli e Tiago Antonio de Oliveira Mendes. Gazzinelli é presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), co-fundador do Centro de Tecnologia de Vacinas da UFMG-Fiocruz e professor da Universidade de Massachusetts (UMASS). É coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Vacinas/MCT, e tem contribuído para o desenvolvimento de vacinas contra as doenças negligenciadas, mais precisamente a leishmaniose, doença de Chagas e malária.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Mendes, que ganhou na categoria juventude, é mestre em parasitologia pela UFMG e doutor em bioinformática pela UFMG com período no European Molecular Biology Laboratory (EMBL-Heidelberg, Alemanha). Seus projetos resultaram no depósito de 34 patentes, incluindo repositórios internacionais (União Europeia). O indicado tem conseguido interagir com empresas privadas por meio de acordos de cooperação de desenvolvimento de produtos para controle de doenças infecciosas. Estes acordos incluem colaborações com as empresas Biotécnica (testes rápidos para Covid-19 e Zika vírus), Laboratório Biovet (vacina para as zoonoses erliquiose, babesiose e anaplasmose) e AnimalNutri (testes rápidos para neosporose e tripanossomíase).

Ainda na categoria juventude foi premiada a pesquisadora Fabiani Denise Bender. Ela atua no Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), é mestre em Ciências Atmosféricas pelo Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo e pós-doutora em Ciência, pelo programa de Engenharia de Sistemas Agrícolas, pela ESALQ/USP, Piracicaba, SP.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: