Governo ajusta estimativa do valor de produção agropecuária para R$ 1,103 trilhão em 2021

O número representa um crescimento de 10% em relação ao VBP atingido em 2020, de R$ 1,0 trilhão

Redação
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Amanda Perobelli
REUTERS/Amanda Perobelli

O número representa um crescimento de 10% em relação ao VBP atingido em 2020, de R$ 1,0 trilhão

Acessibilidade


O VBP (Valor Bruto da Produção Agropecuária) do Brasil deverá atingir R$ 1,103 trilhão em 2021, projetou o Ministério da Agricultura ontem (14), com um leve ajuste para baixo em relação à estimativa publicada em setembro, de R$ 1,106 trilhão.

O número representa um crescimento de 10% em relação ao VBP atingido em 2020, de R$ 1,0 trilhão, ressaltou a pasta em comunicado. No comparativo anual, o valor das lavouras deve crescer 12%, enquanto a pecuária indica aumento de 6,1%.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Na composição do VBP, as lavouras respondem por 67,7%, e a pecuária por 32,3%. Desta forma, as maiores contribuições para a projeção do resultado total vêm da soja, milho, cana-de-açúcar. No segmento de proteína animal, a carne bovina e o frango são destaque. Juntos, estes produtos representam cerca de 72,4% do valor total de produção agropecuária.

Na ponta negativa, cultivos como café e laranja foram citados, após problemas com o clima que atingiram suas respectivas safras.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Os resultados do VBP deste ano carregam os efeitos de impactos climáticos ocorridos em 2020 e 2021. Falta de chuvas, secas e geadas afetaram produtos relevantes como milho de segunda safra, café, feijão e outros”, afirmou o ministério.

Entretanto, a pasta disse que as boas condições do mercado internacional, e os preços internos favoráveis, têm sido os principais fatores de crescimento para agronegócio em 2021 e impulsionaram os preços de diversos produtos.

Neste contexto, houve forte elevação de preço neste ano para algodão em caroço (27,4%), café arábica (22,2%), cana-de-açúcar (10%), milho (27,1%), soja (16,4%) e trigo (5,0%), citou o comunicado. Com isso, apesar das frustrações com clima alguns destes produtos estão estimados em máximas históricas para o valor da produção.

“Os recordes de valor, obtidos em uma série de 32 anos, foram observados em algodão (R$ 29,8 bilhões), milho (R$ 121,6 bilhões), soja (R$ 360,3 bilhões) e trigo (R$ 12,8 bilhões). Na pecuária, os recordes foram obtidos em carne bovina e carne de frango.” (com Reuters)

Compartilhe esta publicação: