Saiba quem são os melhores produtores de cacau do Brasil

Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial mostra produtores que se destacam na qualidade das amêndoas e na sustentabilidade de suas lavouras.

Vera Ondei
Compartilhe esta publicação:
CNA/Divulgação
CNA/Divulgação

Concurso de qualidade da amêndoa do cacau recebeu 94 produtores de todo o país

Acessibilidade


Ilhéus, na Bahia, é a terra do cacau e nos últimos anos aposta em um movimento crescente que mostra a qualidade da amêndoa. Ontem (22) a cidade foi palco para os produtores de todo o Brasil se encontrarem. O motivo? A terceira edição do Concurso Nacional de Qualidade do Cacau Especial do Brasil, que premiou as melhores amêndoas produzidas no país. Na categoria varietal, a produtora Cláudia Calmon de Sá, de Itabuna (BA), ficou com o primeiro lugar, com a variedade BN34.  Na categoria blend (que é a mistura de variedades) foi vencedor foi o produtor Robson Brogni, de Medicilândia (PA).

Para a premiação foram analisadas 94 amostras inscritas, um crescimento de 77% na comparação com o primeiro ano do prêmio. A etapa final, depois das amostras de chocolate passarem por técnicos especializados, contou também com empreendedores que são referência no setor de chocolate, como Alexandre Costa, da Cacau Show; Lucas Corazza, jurado do programa Que Seja Doce da GNT; e Luciana Lobo, chef da Dengo Chocolates.

LEIA TAMBÉM: O futuro da análise geoespacial está nos digital twins

“O concurso nacional busca premiar as melhores amêndoas de cacau do Brasil, mas tem como principal estratégia valorizar o saber fazer, valorizar o homem do campo. Nós pudemos ver no concurso o quanto essa valorização, principalmente do pequeno produtor, é importante e como isso é transformador na vida dele”, diz Cristiano Villela, diretor científico do Centro de Inovação do Cacau (CIC).

O prêmio visa a valorização do cacau especial ao  eleger as amêndoas de maior qualidade que são resultado de um processo de produção  sustentável. Por isso, além da avaliação da qualidade sensorial dos produtos, das amêndoas e do licor, os produtores também precisam demonstrar que utilizam práticas mais integradas ao meio ambiente em suas produções.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Nesta edição, o estado do Pará liderou o ranking conquistando todo o pódio da categoria de blends, incluindo um empate técnico na terceira posição. A Bahia ficou com as duas primeiras na categoria varietal, e o terceiro lugar chamou a atenção pelo ineditismo. Em sua primeira participação, o estado de Rondônia garantiu uma posição no pódio, representado pelo produtor Mauro Tauffer, de Buritis (RO).

Dois outros produtores, ambos do Pará, receberam menções especiais por terem se destacado em outros concursos que também prestigiam o cacau, a nível nacional e internacional. Um deles foi João Evangelista, que está concorrendo entre os 50 melhores do mundo no Cocoa of Excellence – evento que ocorrerá em Paris, no próximo mês. “A gente não consegue sozinho. Eu fiz minha parte, mas também existe o apoio de pessoas, equipes e técnicos, que nos ensinam o que não sabemos”.

 

Compartilhe esta publicação: