Abiove reduz previsão de safra de soja e exportação do Brasil por clima desfavorável

Associação reduziu colheita em 4,8 milhões de toneladas.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Ziviani/Getty Images
Ziviani/Getty Images

Os embarques de soja do país estão estimados em 91,1 milhões de toneladas em 2022

Acessibilidade


A safra de soja do Brasil neste ano ficará abaixo das expectativas, disse hoje a Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais), que reduziu a projeção de colheita em 4,8 milhões de toneladas devido a problemas climáticos.

O volume previsto, de 140 milhões de toneladas, ainda é um patamar recorde, mas a associação que reúne as principais tradings e processadoras de grãos admite a possibilidade de novas reduções na estimativa, a depender da evolução do clima, especialmente a seca no Sul.

LEIA TAMBÉM: Vagas no agro: para quem são as melhores oportunidades de carreira em 2022

“Trata-se de uma situação adversa e a Abiove permanece acompanhando a evolução da produtividade durante as próximas semanas para avaliar eventuais futuras perdas ocasionadas pelas condições climáticas atípicas”, disse o economista-chefe da associação, Daniel Amaral, em nota.

A projeção de colheita –que está em fase inicial– ainda supera a máxima obtida na safra passada, de 138,5 milhões de toneladas. Isso acontece devido ao crescimento da área plantada.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ainda assim, a Abiove diminuiu a estimativa de exportação e estoques de soja do Brasil, maior produtor e exportador global da oleaginosa.

Os embarques do grão do país estão estimados em 91,1 milhões de toneladas em 2022, ainda um patamar recorde, ante 93,4 milhões na projeção anterior e contra 86,1 milhões em 2021.

Os estoques finais de soja do Brasil estão agora estimados a cerca de 4 milhões de toneladas, versus 6,4 milhões na estimativa anterior.

A Abiove manteve a previsão de processamento de soja no país em recorde de 48 milhões de toneladas em 2022, versus 46,5 milhões em 2021.

“Com o esmagamento inalterado, as produções estimadas tanto do farelo quanto de óleo de soja permanecem em 36,7 milhões de toneladas e 9,7 milhões de toneladas, respectivamente”, disse Amaral.

Compartilhe esta publicação: