China quer plantar em consórcio 1 milhão de hectares de soja e milho

A China, maior importadora de soja do mundo, disse no fim do ano passado que aumentar sua produção da oleaginosa era uma prioridade política.

Da Reuters
Compartilhe esta publicação:
Produtores colhem trigo em Handan, na província de Hebei, China
Produtores colhem trigo em Handan, na província de Hebei, China

A China, maior importadora de soja do mundo, disse no fim do ano passado que aumentar sua produção da oleaginosa era uma prioridade política

Acessibilidade


O Ministério da Agricultura da China disse hoje (26) que promoverá um consórcio de soja com milho em mais de 1 milhão de hectares de terra neste ano, buscando aumentar a produção da oleaginosa sem reduzir a de milho.

A China, maior importadora de soja do mundo, disse no fim do ano passado que aumentar sua produção da oleaginosa era uma prioridade política, mas deu poucos detalhes sobre como alcançará esse aumento.

A produção caiu 16% em 2021 em relação ao ano anterior, já que alguns agricultores mudaram para culturas mais lucrativas, como o milho.

O Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais disse em comunicado que promoverá o “plantio composto em tiras”, ou cultivo de soja e milho em fileiras lado a lado, em 1 milhão de hectares de terra.

A abordagem proporcionaria “basicamente nenhuma diminuição na produção de milho” e ainda acrescentaria uma temporada extra de soja, disse o ministério.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A área plantada de soja havia sido estimada anteriormente em 8,4 milhões de hectares na safra 2021/22, enquanto o milho será cultivado em 43 milhões de hectares.

O ministério não disse qual é a extensão da prática de plantio em consórcio atualmente, mas ela tem sido estudada na China há anos, e mostrada em outros lugares para beneficiar a saúde do solo e melhorar os nutrientes nas culturas.

Compartilhe esta publicação: