Pecuária nas Américas terá US$ 100 milhões para projetos de redução de emissões de CO2

A pecuária é apontada como uma grande emissora do gás metano liberado pelo "arroto do boi", um dos principais gases do efeito estufa.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Campo em Rondônia
Campo em Rondônia

A pecuária é apontada como uma grande emissora do gás metano liberado pelo “arroto do boi”, um dos principais gases do efeito estufa

Acessibilidade


O Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) anunciou uma iniciativa com o Fundo Verde do Clima (GCF, na sigla em inglês) que buscará a redução de emissões de gás metano causadas pela pecuária nas Américas, com um aporte de 100 milhões de dólares, disse o IICA em nota hoje (18).

O metano é um dos principais gases de efeito estufa, e a pecuária é comumente apontada como uma grande emissora devido ao metano liberado pelo “arroto do boi”.

“Com este projeto, buscamos aumentar a eficiência dos sistemas produtivos na cadeia da pecuária, que tem recebido muitas críticas e pouca compreensão com relação aos avanços que têm sido realizados”, afirmou o diretor-geral do IICA, Manuel Otero, durante sua cerimônia de posse na segunda-feira.

Segundo o comunicado, o primeiro passo da iniciativa contará com um investimento de 1,5 milhão de dólares do GCF para a realização de estudos de viabilidade.

Em julho do ano passado, o fundo credenciou o IICA para implementar projetos financiados pela sua carteira de créditos, permitindo que o organismo acesse recursos que apoiem iniciativas de adaptação climática da agricultura nos países das Américas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participou da posse transmitida pela internet, junto a demais autoridades do setor em países vizinhos.

Compartilhe esta publicação: