IGC reduz previsão de safra global de milho após perdas na América do Sul

Em sua atualização mensal, o órgão intergovernamental cortou a previsão em 4 milhões de toneladas para 1,203 bilhão de toneladas.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Krishnendu Halder/Reuters
Krishnendu Halder/Reuters

Trabalhador sobre estoque de milho na Índia

Acessibilidade


O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) reduziu hoje (17) sua previsão para a produção global de milho 2021/22, em parte devido a perspectivas reduzidas para Brasil e Argentina em função da seca.

Em sua atualização mensal, o órgão intergovernamental cortou a previsão em 4 milhões de toneladas para 1,203 bilhão de toneladas.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A safra de milho do Brasil foi estimada em 111,5 milhões de toneladas, abaixo da projeção anterior de 112,9 milhões, embora ainda bem acima dos 87 milhões do ciclo passado.

O IGC também cortou sua previsão para a safra de milho da Argentina de 61 milhões para 59 milhões de toneladas, ligeiramente abaixo dos 60,5 milhões da temporada anterior.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O clima seco levantou preocupações sobre as perspectivas para a produção de milho e soja.

O IGC também observou “evidências de diminuição do potencial de rendimento na América do Sul”, o que também levou a um corte de 15 milhões de toneladas em sua previsão para a produção global de soja em 2021/22, para 353 milhões de toneladas.

O IGC manteve sua previsão para a produção global de trigo na temporada 2021/22 em 781 milhões de toneladas, versus 774 milhões da temporada anterior.

Compartilhe esta publicação: