China aumenta importações de soja no 1º bimestre

A China, o maior importador mundial de soja, trouxe 13,94 milhões de toneladas da oleaginosa no período de janeiro a fevereiro.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Agência Brasil
Agência Brasil

Importação de soja da China aumenta em relação ao ano anterior

Acessibilidade


As importações de soja pela China nos dois primeiros meses de 2022 aumentaram em relação ao ano anterior, mostraram dados alfandegários hoje, superando as expectativas do mercado.

A China, o maior importador mundial de soja, trouxe 13,94 milhões de toneladas da oleaginosa no período de janeiro a fevereiro, um aumento de 4,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, mostraram dados da Administração Geral das Alfândegas.

O mercado esperava chegadas menores após o clima adverso no Brasil – principal fornecedor de soja para a China – cortar as estimativas para a nova safra e atrapalhar os fluxos.

As informações de fluxos, de acordo com dados da Refinitiv, mostraram importações de 7,8 milhões de toneladas de soja pela China em janeiro e 4,4 milhões de toneladas em fevereiro, totalizando 12,2 milhões de toneladas nos dois meses.

“As importações nos primeiros meses de 2022 foram maiores do que esperávamos. Com base em nossos dados, as chegadas não seriam tão altas. Caso contrário, não haveria esse aperto no mercado interno”, disse Zou Honglin, analista da seção agrícola da Mysteel, uma consultoria com sede na China.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Zou disse que a discrepância nos dados pode ser por causa de cargas não comerciais entre as chegadas. “A compra comercial não suportaria números tão altos”, disse Zou.

A China não divulga números separados de importação para os dois primeiros meses do ano devido ao impacto do feriado do Ano Novo Lunar.

Secas e chuvas excessivas em algumas regiões do maior produtor e exportador do Brasil reduziram as estimativas para a nova safra, além de atrasar as colheitas e o carregamento nos portos.

As chegadas de soja menores do que o esperado forçaram algumas grandes plantas de esmagamento na China a suspender as operações, elevando os preços do farelo de soja.

Os importadores se voltaram para os grãos dos Estados Unidos nas últimas semanas, depois que os embarques americanos se tornaram competitivos em relação aos carregamentos brasileiros, com os preços do Brasil disparando devido a preocupações com a oferta.

As chegadas de soja em março e abril devem permanecer limitadas, já que o mau tempo continuou afetando as safras e os embarques do Brasil.

Os preços do farelo de soja na China também foram impulsionados pela invasão da Ucrânia pela Rússia, o que prejudicou severamente a cadeia global de suprimentos agrícolas.

Compartilhe esta publicação: