Anec reduz estimativas de exportações de milho, soja e farelo do Brasil

Os embarques de soja do Brasil não estão tão fortes quanto em 2021, por conta da firme demanda da indústria para a produção de farelo e óleo de soja localmente, além da quebra da safra

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Henry Romero/Reuters
Henry Romero/Reuters

Produção de milho

Acessibilidade


A exportação de soja do Brasil em maio deve alcançar 10,7 milhões de toneladas, estimou hoje (31) a Anec (Associação Nacional dos Exportadores de Cereais), uma queda ante o total previsto na semana anterior, de 11,3 milhões de toneladas.

O volume, se confirmado, representaria uma redução na comparação com o mês de abril (11,36 milhões de toneladas), enquanto seria uma diminuição de 3,5 milhões de toneladas ante maio do ano passado, quando os embarques atingiram um dos níveis mensais mais altos da história.

Nesta temporada, os embarques da oleaginosa do Brasil não estão tão fortes quanto em 2021, por conta da firme demanda da indústria para a produção de farelo e óleo de soja localmente, além da quebra da safra.

Já a exportação de farelo de soja do Brasil deve alcançar 1,85 milhão de toneladas em maio, cerca de 50 mil a menos ante a estimativa da semana anterior, mas um crescimento de mais de 150 mil toneladas versus 2021.

A exportação de milho, segundo a Anec, foi estimada em cerca de 1,1 milhão de toneladas, ante 1,24 milhão na semana anterior. No mesmo mês do ano passado, o Brasil não havia exportado o cereal, segundo a associação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: