Nutribras desenvolve o primeiro caminhão movido a biometano de suínos

Empresa também foi pioneira ao introduzir o modelo de suinocultura autossustentável no Brasil.

BrandVoice Nutribras Alimentos
Compartilhe esta publicação:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Fazenda da Nutribras Alimentos no Mato Grosso

Acessibilidade


A Nutribras Alimentos apresentou, no final de 2021, o primeiro caminhão movido a biometano originado de granjas de suínos. O feito foi possível graças à história de mais de duas décadas aproveitando resíduos da suinocultura para produção de biogás e biofertilizantes.

Esse histórico transformou a Nutribras Alimentos, uma empresa com capital 100% nacional, em uma das referências internacionais na produção de proteína animal, que com um ciclo completo realiza todas as etapas do processo com sustentabilidade ambiental e social.

O desafio para o desenvolvimento do caminhão era purificar na fazenda o biogás produzido pelos biodigestores, que atualmente geram energia para as instalações da empresa. “O biometano está um passo à frente do biogás. O biogás tem metano, mas também outros gases que podem danifi car os motores a combustão. Nosso protótipo conseguiu purifi car o biogás e atingir 96% de concentração de metano”, explica a equipe técnica da Nutribras Alimentos.

A ideia surgiu quando a equipe percebeu que o potencial energético do biogás seria mais bem aproveitado como biometano para combustível veicular, inclusive financeira e ambientalmente. Para desenvolvê-lo, a companhia contou com a parceria de uma universidade do Rio Grande do Sul.

Com grande eficiência energética, o biometano proveniente de granjas suínas tem duplo impacto positivo no meio ambiente: além de representar o beneficia-mento do biogás proveniente de dejetos suínos, também tem baixa emissão de gases causado-res do efeito estufa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo a equipe técnica, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) prevê que veículos movidos a GNV podem ser abastecidos com biometano. Pelo levantamento da Nutribras, o potencial de suas granjas para geração do produto é de até 35 mil metros cúbicos por dia – um volume expressivo em relação à atual frota da empresa, incluindo caminhões, veículos utilitários e de passeio, além dos maquinários agrícolas. Juntos, eles consumiriam 8 mil metros cúbicos se fossem abastecidos exclusivamente com biometano. Por isso, a intenção da Nutribras é ganhar escala com a produção do gás sustentável e formatar modelos mais eficientes para levar o combustível até o consumidor final. Além disso, no processo de purificação do biogás podem ser gerados outros subprodutos úteis, entre eles o CO2. De acordo com a equipe técnica, esses insumos estão sendo estudados para a utilização em outras atividades.

Foto: Divulgação

Reconhecimento

A iniciativa foi reconhecida pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, quando visitou a Nutribras Alimentos. Depois do encontro, a ministra enalteceu o projeto em suas mídias sociais, como este comentário em sua conta no Instagram: “Vejam que interessante: o primeiro caminhão movido a biometano oriundo de granja de suínos do Brasil. Entre uma agenda e outra lá em Sorriso (MT), conheci esse projeto inovador e muito sustentável da Nutribras Alimentos durante uma visita à cidade. Lá, eles utilizam biodigestores para tratar os resíduos orgânicos provenientes da produção de carne suína. Com isso, é possível obter biogás para geração de energia e também os biofertilizantes, que servem como adubo. Com pesquisa e desenvolvimento, o biogás é transformado em biometano, um biocombustível que tem potencial para substituir o gás natural veicular, o GNV. E a ideia é adaptar o biocombustível para mais veículos da agroindústria”.

Autossustentável

A Nutribras Alimentos reúne diversos exemplos de soluções sustentáveis e responsáveis socialmente ao longo de sua história de produção verticalizada e no ciclo completo na suinocultura. Sediada em Sorriso, no estado do Mato Grosso, a empresa também foi a pioneira no Brasil na utilização de biodigestores para o reaproveitamento de dejetos de granjas de suínos, em 2001.

Desde 2004, todas as suas unidades, que hoje abrigam 18 mil matrizes, começaram a contar com biodigestores. Logo depois, em 2005, iniciou-se a prática de fertirrigação, que potencializa as lavouras de soja e milho que são transformados em ração balanceada para todo o plantel.

Dessa maneira, além de dar um destino adequado aos resíduos da suinocultura, a empresa completa um ciclo autossustentável, o que a tornou referência nacional e internacional na produção de alimentos sem comprometer os recursos naturais.

“O que nos inspira e nos motiva é produzir e levar à mesa do consumidor a carne suína, um alimento saboroso e com excelentes propriedades nutritivas, respeitando o futuro das próximas gerações”, diz Paulo Lucion, CEO da Nutribras Alimentos.

Foto: Divulgação

Primeiro caminhão movido a biometano suíno

*BrandVoice é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: