Exportação de suco de laranja do Brasil cai 5,2% no acumulado da safra com menor oferta

O faturamento, por sua vez, atingiu US$ 1,33 bilhão no período, alta de 5% no comparativo anual

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Trabalhadores carregam caminhão com laranjas produzidas em uma fazenda em Limeira, no interior de São Paulo

Acessibilidade


As exportações brasileiras de suco de laranja alcançaram 813.696 toneladas no acumulado dos dez primeiros meses da safra 2021/22, até abril, queda de 5,21% ante igual período do ciclo anterior, com impacto do clima sobre as lavouras e, em consequência, menor oferta da bebida, disse hoje (19) a CitrusBR.

O faturamento, por sua vez, atingiu US$ 1,33 bilhão no período, alta de 5% no comparativo anual, conforme levantamento da Associação Nacional de Exportadores de Sucos Cítricos com base em dados do governo federal, que considera a bebida FCOJ Equivalente a 66º Brix.

Leia mais: Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

“O resultado segue a tendência divulgada em fevereiro pela CitrusBR em que apontava dificuldade do setor em atender à demanda internacional devido aos efeitos das secas e geadas que impactaram a safra 2021/22”, informou a entidade em nota.

As adversidades climáticas ocorreram no ano passado e prejudicaram o desempenho das lavouras e frutos que originaram o suco que vem sendo exportado nesta temporada.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Europa continua sendo o principal destino do suco brasileiro, mas as exportações para o continente totalizaram 518.013 toneladas, uma redução de 5,36%.

Em faturamento, os embarques para o mercado europeu somaram US$ 853,4 milhões, valor 3,85% maior em relação ao mesmo período da safra passada.

Para os Estados Unidos, segundo principal comprador, os embarques seguem quase estáveis, com 161.534 toneladas acumuladas em dez meses, redução de 0,40%, enquanto a receita subiu 18,9%, para US$ 285,7 milhões.

Já a China importou o total de 65.615 toneladas, volume 50,89% maior do que o registrado um ano antes, que gerou um crescimento de 53,64% no faturamento, a US$ 78 milhões.

“O volume exportado nos últimos 10 meses para a China já é maior que o volume das últimas dez safras. Isso demonstra um processo de amadurecimento do mercado, o que é importante para a descentralização do eixo Europa-Estados Unidos”, afirmou em nota o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto Netto.

Compartilhe esta publicação: