Chuvas prejudicam plantio de trigo no Rio Grande do Sul

O plantio de trigo começou nas regiões mais quentes do Estado e agora a previsão da federação é de uma semana de precipitações

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Vincent Mundy/Reuters
Vincent Mundy/Reuters

Segundo o presidente da entidade, Paulo Pires, em alguns municípios gaúchos chegou a chover mil milímetros nos últimos três meses

Acessibilidade


O excesso de chuvas dos últimos meses tem atrapalhado o início das safras de inverno no Rio Grande do Sul, o que já afeta a semeadura de cereais como o trigo, disse ontem a Fecoagro/RS (Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado) em nota.

Segundo o presidente da entidade, Paulo Pires, em alguns municípios gaúchos chegou a chover mil milímetros nos últimos três meses, após a ocorrência de uma seca no início do ano.

“Parece que esta chuva estava represada. E isso prejudica enormemente os plantios tanto de canola, que praticamente está sendo finalizada em termos de semeadura no Rio Grande do Sul, quanto do trigo que agora se iniciou”, disse ele no comunicado.

O plantio de trigo começou nas regiões mais quentes do estado e agora a previsão da federação é de uma semana de precipitações, “o que pode atrapalhar ainda mais”.

Pires disse que a área de trigo deve aumentar 16%, de acordo com a RTC (Rede Técnica Cooperativa), diante da expectativa de aumento na rentabilidade com o cereal.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Com esses preços praticados para o trigo no mundo todo, o produtor aumentou a área, principalmente em cima do orçamento, com a possibilidade de renda que poderá ter, mesmo com a elevação de custo em 51%, e também com a questão de que precisa desta renda”, afirmou.

Compartilhe esta publicação: