Dia do Pescador: 10 pesqueiros para se divertir e aprender

Conheça lugares destinados ao agroturismo da pesca esportiva, onde é possível fisgar peixões que passam de 20 quilos

Vera Ondei
Compartilhe esta publicação:
Seksan Mongkhonkhamsao_Gettyimages
Seksan Mongkhonkhamsao_Gettyimages

Pescar traz bem-estar, mas é preciso seguir as regras no modelo esportivo para também cuidar dos animais

Acessibilidade


A figura do pescador, de molinete ou vara de bambu nas mãos, está hoje mais relacionada ao lazer. Até mesmo na forma artesanal, a pesca com linha é quase uma raridade, sendo mais comum os modelos com rede, armadilha ou arrasto.

Hoje (29) é o Dia do Pescador. Pescar em pesqueiros, uma modalidade de agroturismo, pode ser uma forma educativa e que gera bem-estar aos seus praticantes. A pesca é um exercício de paciência e autoconfiança porque é preciso aguardar até que o peixe seja fisgado, aguçando a vontade de fisgar um ainda maior.

LEIA MAIS:  Por que os peixes cultivados no Brasil podem chegar a 1 milhão de toneladas em 2025?

Alguns lembretes são importantes na pesca esportiva: é preciso cuidar também do bem-estar do peixe para que ele não se machuque, conhecer as iscas, usar roupas adequadas e ter bons equipamentos, como por exemplo anzóis certos para cada tamanho de animal. Nos pesqueiros, os peixes mais encontrados são a carpa, tilápia, pacu, tambacu e tambaqui em seus diversos nomes e apelidos, mas é possível encontrar também piapara, trairões, pirarucu, matrinxã, tucunaré, piapara, piau e até truta, entre outras espécies

A pesca esportiva, que conta até com campeonatos, é regulamentada no país, com regras que devem ser seguidas. A Forbes separou alguns locais onde é possível pescar peixões bons de briga, animais que podem passar de 30 quilos. Com exceção da Truta da Serrinha, os demais locais podem ser acessados por meio de suas redes sociais. Confira:

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

1 – Clube Pescar

Onde fica: Rodovia Galdino Borges, Km 6 Zona Rural, Luziânia (GO)

O pesqueiro é famoso pelos grandes peixes em seus tanques. Há tambaquis que ultrapassam os 30 quilos e gigantes piraparas que podem ir aos 50 quilos. O tambaqui, um peixe tropical brasileiro, é símbolo da pesca esportiva. Mas também há cacharas e pintados de até 25 quilos. No pesqueiro acontecem, também, algumas das etapas classificatórias do CBP (Campeonato Brasileiro em Pesqueiro). É possível ficar hospedado no local, que se encontra a uma hora de carro a partir do aeroporto de Brasília.

2 – Parque Maeda

Onde fica: Rodovia Dep. Archimedes Lammoglia, Km 18, Itu (SP)

O pesqueiro, um dos mais famosos do circuito paulista de pesca esportiva, possui 10 lagos separados em quatro áreas que contam com tanques de engorda, tancão e caiaque fishing. As espécies que podem ser pescadas são a tilápia, carpa, pacu, bagre, pintado, dourado e cachara, alguns com até 40 quilos. Há também vários serviços de aluguel, entre eles equipamentos, acomodações e área de lazer para crianças, como o arvorismo e as piscinas.

3 – Truta da Serrinha

Onde fica: Às margens do rio Alambari, a 11 km partindo de Penedo (RJ)

A criação de Trutas da Serrinha começou em 1984 e está localizada em uma APA (Área de Proteção Ambiental). A propriedade é diferente de um pesqueiro tradicional porque cria trutas Arco-Íris para comércio, com uma estrutura de laboratório de desova, incubação e larvicultura, setor de alevinagem, abatedouro e câmara frigorífica. São nove tanques, totalizando 1.500 metros quadrados destinados à criação, crescimento e engorda dos peixes. Desde junho de 1993, um dos tanques é destinado à pesca esportiva. Os equipamentos para fisgar uma truta são fornecidos no local e o pescador leva para casa o que pescar, já limpo, embalado e pronto para o transporte.

4 –  Matsumura

Onde fica: Rua Yoshio Matsumura, 452, em São Paulo (SP) a 18 Km do autódromo de Interlagos

O pesqueiro na capital paulista foi inaugurado em 1993 por um casal de orientais. Há seis lagos para prática da pesca esportiva, com cerca de 15 espécies, entre elas tilápia, carpa, piau, piraputanga, piracanjuba, matrinxã, cat fish, traíra, pintado, cachara, dourado, tambacu, pacu e patinga. Há peixes de vários tamanhos, mas fazem sucesso os gigantes, como os tambacus de quase 40 quilos e as pirararas acima de 25 quilos. Os grandões, em geral, são soltos. Os menores podem ser comprados e levados para casa limpos.

5 – Tio Oscar

Onde fica: Rodovia Presidente Castelo Branco, km 75, Mairinque (SP)

O grande chamariz do pesqueiro é um lago de 31 mil metros quadrados de espelho d’água, alimentado por 58 nascentes. Essa característica leva os peixes a uma ótima qualidade de vida, principalmente os gigantes que podem chegar a 40 quilos. Além dessa área há outros dois lagos de 4 mil metros quadrados de lâmina. Entre os peixes estão as carpas e os tambacus. O local conta com restaurante, hospedagem e foi sede do 1º Campeonato Estadual entre Pesqueiros, da Federação Paulista de Pesca e Arremesso, criada em 1969.

6 – Ishikawa

Onde: Estrada Alcides Turini, Londrina (PR)

Nos tanques é possível pescar peixes acima de 30 quilos, como os tambacus, piaus e pirararas. Há sete lagos na propriedade administrada por descendentes de japoneses. O local conta com serviço de cozinha, que pode preparar o peixe fisgado pelo pescador, incluindo o sashimi. Todos os meses, o pescador do peixe mais pesado é premiado, como uma homenagem. Em geral ganham equipamentos como molinetes, varas, camisetas e bonés.

7 – Paraíso Verde

Onde fica: Rodovia CL 1, KM 01, Campo Limpo de Goiás (GO)

O pesqueiro foi aberto há 17 anos e está a 70 quilômetros da capital Goiânia. O tanque possui 76.000 metros cúbicos de água, com espécies como tambacu, pirarara, tambaqui, pintado e pacu. Atrai os pescadores pela fama de seus peixes grandes, sendo o maior um pirarucu de 70 quilos. O pesqueiro também recebe etapas classificatórias do CBP (Campeonato Brasileiro em Pesqueiro), tem estrutura de lazer e serve refeições.

8 – Gabardo

Onde fica: Estrada Marcírio Souza Carpes, em Montenegro (RS)

O pesqueiro fica a 60 quilômetros da capital Porto Alegre e faz parte de um complexo turístico. A principal lâmina d’água tem 66.000 metros, além de 15 lagos de apoio para a criação. Há cerca de 10 espécies, entre elas dourado, tilápia, pacu, surubi, tambacu, traíra e as carpas cabeçuda, húngara, capim e comum. O local conta com estrutura de lazer, restaurante e serviços de apoio ao pescador.

9 – Valle Verde

Onde fica: Areia Branca dos Assis, Mandirituba (PR)

Localizado a 40 quilômetros da capital Curitiba, o pesqueiro tem seus lagos divididos entre pesca esportiva e pesque e pague. Para a pesca esportiva, há tanques separados para dourado de até três quilos, para traíras, um com pintados e dourados até 20 quilos, carpa cabeçuda de até 25 quilos, além do matrinxã, catfish e tilápias. Para o pesque e pague são cinco lagos. Os peixes mais comuns são as tilápias entre 600 gramas e cinco quilos, mais matrinxã, trutas e outros. Nesses lagos também é possível fisgar peixes, como carpas cabeçudas de 15 quilos.

10 – Quatro Estações

Onde fica: Vilarejo Urucuia, zona rural de Esmeraldas (MG)

A área de 20 hectares está a 70 quilômetros de Belo Horizonte. Nos tanques para pesca esportiva há peixes que chegam a 50 quilos. São dois lagos principais, com cerca de 22.000 metros de lâmina d´água. É possível fisgar pacus, tambaquis, tambacus, surubins, cacharas, pirararas, pirarucus, traíras, matrinxãs e tilápias. A área conta com hospedagem, estrutura de lazer e é pet friendly.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: