Grãos avançam em Chicago com avaliações de safras dos Estados Unidos

Um relatório do governo dos Estados Unidos mostrou que as classificações de qualidade para os grãos caíram mais do que o esperado

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Os futuros de soja em Chicago também foram apoiados por um declínio maior do que o esperado nas condições das safras americanas

Acessibilidade


Os contratos futuros de milho de Chicago subiram hoje (28), depois que um relatório do governo dos Estados Unidos mostrou que as classificações de qualidade para o cereal caíram mais do que o esperado, levantando preocupações sobre a safra do Meio-Oeste, que se aproxima de uma importante fase de desenvolvimento de polinização.

Os futuros de trigo subiram com cobertura de posições vendidas e compras de barganha após três sessões consecutivas empurrarem o contrato mais ativo para o menor nível desde fevereiro.

Os futuros de soja também foram apoiados por um declínio maior do que o esperado nas condições das safras americanas e ganhos mais amplos nos mercados financeiros depois que a China afrouxou as regras contra Covid-19 para viajantes.

Em um relatório divulgado após o fechamento do mercado na segunda-feira, o USDA (sigla em inglês para o Departamento de Agricultura dos EUA) cortou sua avaliação da safra de milho do país para 67% em condição boa a excelente, uma queda de 3 pontos percentuais comparada à semana anterior, e reduziu a avaliação para a safra de soja em condição boa/excelente em 3 pontos, para 65%.

“É um dos dois ou três principais relatórios do ano, e eu esperaria uma enorme volatilidade nos preços de mercado depois que eles saírem”, disse Roose.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na bolsa de Chicago, o contrato de milho mais ativo fechou o dia em alta de 6,25 centavos de dólar a US$ 6,59 (R$ 34,3) o bushel.

A soja fechou com avanço de 29,75 centavos de dólar a US$ 14,62 (R$ 76,27) o bushel, enquanto o trigo fechou em alta de 18,50 centavos de dólar para US$ 9,36 (R$ 48,83) o bushel.

Compartilhe esta publicação: