Cooperados da Cooxupé colhem mais de um quarto da safra de café

No entanto, a colheita mantém um atraso histórico que vem marcando o ciclo atual desde o início

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Pés de café
REUTERS/José Roberto Gomes

Pés de café em Guaxupé (MG), área de atuação da Cooxupé.

Acessibilidade


A colheita de café de cooperados da Cooxupé atingiu 25,72% da safra projetada em 2022, avanço semanal de 6,5 pontos percentuais, mas mantém um atraso histórico que vem marcando o ciclo atual desde o início, segundo dados da cooperativa divulgados hoje (6).

Entre os fatores citados para o atraso estão um maior cuidado para realizar os trabalhos em uma safra abaixo do potencial, maturação irregular e carência de mão de obra.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A colheita é a mais atrasada desde 2017, pelo menos, segundo números da cooperativa, o que tem impactado os fluxos de exportação da nova safra do maior produtor global.

Na mesma época do ano passado, produtores ligados à Cooxupé tinham colhido 27,32% da colheita prevista. Em 2020, 36,74%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Entre as regiões em que a Cooxupé atua, produtores do Sul de Minas Gerais tinham colhido 31,10% até 1º de julho; 19,55%, em São Paulo; enquanto no Cerrado mineiro, apenas 16,55%.

A Cooxupé afirmou na semana passada que, apesar do atraso, a qualidade da safra está “muito boa”.

A Cooxupé, principal exportadora de café do Brasil, espera um aumento no recebimento em 2022, para 6,1 milhões de sacas de 60 kg, sendo 4,6 milhões dos cooperados e 1,5 milhão de terceiros. Em 2021, a cooperativa recebeu 5,6 milhões de sacas.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: