Exportação de milho à China pode sair somente a partir de 2023

A China disse que concluiria a assinatura do acordo de quarentena para importação de milho brasileiro, sem fornecer um cronograma exato

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Nacho Doce/Reuters
Nacho Doce/Reuters

Silos de milho no Mato Grosso

Acessibilidade


O milho brasileiro só poderá ser exportado para a China no ano que vem em função das exigências feitas por Pequim sobre os protocolos comerciais que estão sendo implementados, disse o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura ao jornal Valor Econômico hoje (14).

Segundo José Guilherme Leal, os chineses solicitaram o monitoramento de algumas plantas daninhas e fungos nas lavouras de milho, mas ele afirmou que o pedido é comum nas negociações de acordos e protocolos sanitários.

“O protocolo prevê a necessidade de monitoramento e informação sobre a produção”, disse Leal na reportagem. “Como não fizemos o acompanhamento para a atual segunda safra de milho, reafirmo que a exportação só será viabilizada a partir da safra de verão 2022/23”, acrescentou.

O Ministério da Agricultura brasileiro não respondeu imediatamente a um pedido para comentar as declarações de Leal.

O secretário foi citado no Valor dizendo que os produtores brasileiros de milho que quiserem exportar para a China terão que se adequar e informar as condições da lavoura e o controle utilizado para combater pragas e doenças. Então o ministério poderá certificar os embarques.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A China disse que concluiria a assinatura do acordo de quarentena para importação de milho brasileiro, sem fornecer um cronograma exato.

Compartilhe esta publicação: