Frigol recebe habilitação para exportar carne bovina ao Canadá

O movimento ocorre em momento de expansão dos negócios entre Brasil e Canadá no mercado de carnes

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

A companhia já exporta para 60 países espalhados pela América do Sul, Europa, Oriente Médio, Ásia e África

Acessibilidade


A Frigol, quarta maior indústria de carne bovina no Brasil, recebeu uma certificação do Canadá que permite a exportação da proteína ao país pelas unidades de Água Azul do Norte e São Félix do Xingu, ambas no Pará, enquanto busca a aprovação dos EUA, informou a empresa à Reuters hoje (7).

Trata-se da primeira habilitação da Frigol para a América do Norte, que vem ao encontro de sua estratégia para alcançar novos mercados. Atualmente, a companhia fornece carne para mais de 60 países.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“O Canadá é um importante mercado consumidor e possui elevado grau de exigência em relação à qualidade e origem da proteína animal”, disse em nota o diretor de operações, Orlando Negrão.

Segundo ele, o mercado canadense importa cerca de 150 mil toneladas de carne bovina por ano e o Brasil possui uma cota, com alíquota zero, para exportar 18 mil toneladas por ano, podendo embarcar volumes maiores mediante pagamento de tarifa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Para a Frigol, essa é uma importante conquista tanto em questão de mercado quanto em relação ao reflexo do compromisso da empresa com os requisitos de qualidade internacional”, acrescentou.

O movimento ocorre em momento de expansão dos negócios entre Brasil e Canadá no mercado de carnes.

No mês passado, o Brasil recebeu habilitação do Canadá para os primeiros frigoríficos poderem exportar carne suína ao país, sendo dois da Seara Alimentos, controlada pela JBS, e um da Cooperativa Central Aurora.

EUA

O diretor da Frigol ressaltou que a companhia também está na expectativa pela habilitação para os Estados Unidos, mercado que se tornou um dos mais promissores em razão da ascensão de compras da carne bovina do Brasil.

Somente no primeiro semestre, o país embarcou 97.924 toneladas da proteína aos norte-americanos, um salto de 130% no comparativo anual, conforme dados da associação de frigoríficos Abrafrigo divulgados na véspera.

Com isso, a participação dos EUA nas compras totais de carne bovina do Brasil passou de 4,8% em 2021 para 9% neste ano.

“Estamos trabalhando para conquistar habilitações para exportar para outros países como Malásia, Cingapura, Indonésia e Estados Unidos e fortalecer ainda mais o Brasil no comércio exterior”, acrescentou o executivo.

Recentemente, a Frigol recebeu habilitação do Irã, que poderá importar até 500 toneladas de carne por mês. O Líbano e Reino Unido também deram suas aprovações e passaram a fazer parte dos países importadores da companhia, enquanto a China segue como o principal destino das exportações.

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: