Média de exportação de milho do Brasil sobe 75% até 2ª semana de julho

O crescimento ocorre em plena colheita da segunda safra do cereal, com perspectivas de recorde para a produção

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

O desenvolvimento da colheita de milho do Mato Grosso deve favorecer as exportações do Brasil

Acessibilidade


As exportações de milho do Brasil atingiram 158,89 mil toneladas por dia até a segunda semana de julho, um avanço em torno de 75% em relação à média diária de 90,5 mil toneladas embarcadas pelo país em julho do ano passado, mostraram dados do governo federal hoje (11).

O crescimento ocorre em plena colheita da segunda safra do cereal, com perspectivas de recorde para a produção. Em 2021, as lavouras foram afetadas por seca e geadas, e a disponibilidade de grãos para embarque foi reduzida.

Mais cedo, a consultoria AgRural disse que a colheita de milho atingiu 40,5% da área cultivada no centro-sul do país, maior região produtora da cultura, favorecida pelo clima quente e seco na última semana.

Na ponta importadora, as aquisições de fertilizantes químicos pelo Brasil somam 200,47 mil toneladas ao dia até a segunda semana de julho, versus média diária de 175,29 mil no mesmo mês completo de 2021, conforme a Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Compradores aceleraram o fechamento de negócios no mercado de adubos, para garantir a oferta que será utilizada no plantio da safra 2022/23, que começa em setembro. Inicialmente, houve incerteza sobre as entregas do produto devido à guerra na Ucrânia, visto que a Rússia e seu aliado Belarus são dois dos maiores fornecedores do insumo ao Brasil.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os agricultores do Brasil importam cerca de 85% dos fertilizantes consumidos.

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: