Reunião sobre corredor de grãos da Ucrânia pode acontecer nesta semana

Um ministro turco disse que questões técnicas como a identificação de rotas seguras e postos de controle estavam na agenda

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Edgar Su/Reuters
Edgar Su/Reuters

Um campo de trigo de inverno é retratado fora de Bashtanka, região de Mykolaiv, enquanto os ataques da Rússia à Ucrânia continuam

Acessibilidade


Autoridades da Rússia, Ucrânia, Turquia e das Nações Unidas provavelmente se reunirão esta semana para discutir a retomada das exportações de grãos da Ucrânia no Mar Negro, disse Ancara hoje (18), enquanto uma autoridade turca disse que “pequenos problemas” remanescentes devem ser superados.

A invasão da Ucrânia pela Rússia – dois grandes fornecedores globais de trigo – elevou os preços dos grãos e outros produtos alimentícios. O conflito paralisou as exportações de Kiev, deixando dezenas de navios parados e cerca de 20 milhões de toneladas de grãos presas em silos em Odesa.

Na semana passada, o ministro da Defesa turco, Hulusi Akar, disse que Rússia, Ucrânia, Turquia e ONU assinariam um acordo nesta semana sobre o corredor de exportação de grãos após negociações em Istambul. Mas o chefe da ONU, Antonio Guterres, alertou que ainda há “um longo caminho a percorrer” antes que haja negociações de paz para acabar com a guerra.

“Foi alcançado um acordo sobre um plano, princípios gerais para o transporte de grãos e produtos alimentícios… Uma reunião sobre isso na semana é provável”, disse Akar nesta segunda-feira.

O ministro disse que questões técnicas como a formação de um centro de monitoramento em Istambul, identificação de rotas seguras e postos de controle nas saídas e entradas do porto estavam na agenda.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Separadamente, um alto funcionário turco disse que havia uma alta probabilidade de o quarteto assinar um acordo nesta semana.

“No entanto, existem alguns pequenos problemas. As negociações continuam para superá-los”, disse o funcionário.

Compartilhe esta publicação: