Suzano vê demanda por celulose ainda resiliente após alta de preços

Na véspera, a companhia anunciou um novo programa de recompra de ações

Reuters
Compartilhe esta publicação:

A companhia divulgou na véspera resultado positivo para o segundo trimestre.

Acessibilidade


O mercado global de celulose segue apresentando uma equação favorável aos produtores da commodity e as sucessivas altas de preços do produto nos últimos meses foram totalmente implementadas sem prejudicar a demanda, afirmaram hoje (28) executivos da Suzano.

“A demanda continua forte na Europa e América do Norte… Na China, a produção de papel deve continuar apresentando números fortes. A entrada de pedidos (de celulose) deve continuar elevada”, afirmou o diretor comercial de celulose da Suzano, Leonardo Grimaldi, em teleconferência com analistas do setor.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O executivo explicou que a oferta de transporte para celulose no mundo ainda segue apertada e que a guerra na Ucrânia segue causando impactos de redução de capacidade produtiva, enquanto a demanda forte pela commodity no mundo mantém o nível dos estoques no mercado sob restrição.

“Ainda estamos operando com níveis de estoques de celulose abaixo do nível ótimo”, disse Grimaldi sobre a Suzano.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A companhia divulgou na véspera resultado positivo para o segundo trimestre e ainda um novo programa de recompra de ações, que vem dois meses após o anúncio de outra recompra, em meio a uma geração de caixa acima do esperado.

Questionado sobre o novo programa, o diretor financeiro da Suzano, Marcelo Bacci, afirmou durante a teleconferência que a companhia já executou até agora 75% da primeira recompra e que um novo programa é a melhor opção de retorno para o capital disponível no caixa da empresa, que somava 20,3 bilhões de reais ao fim de junho.

“É um movimento estratégico”, disse Bacci. “Estamos gerando mais caixa e acreditamos que as recompras têm retornos muito elevados”, acrescentou o executivo.

O presidente da Suzano, Walter Schalka, afirmou que o conselho de administração da companhia ainda não aprovou um projeto de expansão de produção de papel tissue no Espírito Santo orçado em 600 milhões de reais e anunciado no fim de junho.

“Prevejo que vamos seguir com este investimento, que vai criar valor para os acionistas”, afirmou Schalka.

Por volta de 11:25, as ações da Suzano cediam 1%, a 46,38 reais, enquanto o Ibovespa, referência do mercado acionário brasileiro, cedia 0,4%.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: