Tempo seco reduz previsão de colheita de trigo na Argentina

Na semana passada, a Bolsa de Cereais de Buenos Aires reduziu sua estimativa da área semeada de trigo pela quarta vez desde o início da nova safra

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Shannon VanRaes/Reuters
Shannon VanRaes/Reuters

A Argentina é um grande fornecedor mundial de trigo e o segundo maior exportador de milho

Acessibilidade


A colheita de trigo da Argentina para a temporada 2022/23 é esperada em 17,7 milhões de toneladas, abaixo da estimativa anterior de 18,5 milhões de toneladas, informou a Bolsa de Rosario (BCR) na noite de ontem (13).

O decréscimo reflete uma queda na área estimada de plantio por causa de uma seca nas áreas agrícolas. A bolsa de grãos também revisou para cima sua projeção 2021/22 para a produção de milho.

Inscreva-se na seleção para a lista Under 30 2022

Regiões agrícolas sofreram significativa escassez de água desde que a temporada de plantio de trigo começou em maio. A BCR agora vê áreas plantadas com trigo em 5,9 milhões de hectares (14,6 milhões de acres), abaixo dos 6,2 milhões de hectares previstos em junho.

Na semana passada, a Bolsa de Cereais de Buenos Aires reduziu sua estimativa da área semeada de trigo pela quarta vez desde o início da nova safra, há apenas dois meses. Em maio, a bolsa de Buenos Aires estimou uma área plantada de 6,6 milhões de hectares, e agora espera 6,2 milhões de hectares.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A BCR também ajustou sua estimativa de safra de milho 2021/22 para 51 milhões de toneladas, de uma estimativa anterior de 49,2 milhões de toneladas. Os agricultores colheram 85% da área semeada com o grão.

A Argentina é um grande fornecedor mundial de trigo e o segundo maior exportador de milho.

Compartilhe esta publicação: