Ano de 2020 poderá ser 2º mais quente da história, diz ONU

Período foi caracterizado por ondas de calor, secas, incêndios florestais e furacões intensos .

Redação
Compartilhe esta publicação:
Mike Blake/ Reuters
Mike Blake/ Reuters

Período foi caracterizado por ondas de calor, secas, incêndios florestais e furacões intensos

Acessibilidade


Este ano está a caminho de se tornar o segundo mais quente da história, só ficando atrás de 2016, disse a Organização Meteorológica Mundial (OMM) hoje (2).

Atualmente, cinco conjuntos de dados colocam 2020, um ano caracterizado por ondas de calor, secas, incêndios florestais e furacões intensos, como o segundo mais quente desde que os registros começaram, em 1850.

LEIA MAIS: Investimento ESG: o futuro investido no presente

“(O ano de) 2020 muito provavelmente será um dos três anos mais quentes registrados globalmente”, disse a agência da Organização das Nações Unidas (ONU) sediada em Genebra em seu relatório Estado do Clima Global 2020.

Atiçados pelo calor extremo, incêndios florestais arderam na Austrália, na Sibéria e nos Estados Unidos neste ano, espalhando colunas de fumaça pelo planeta.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Menos visível foi uma disparada de calor marinho a níveis recordes – mais de 80% dos oceanos globais tiveram uma onda de calor marinho, disse a OMM.

“Infelizmente, 2020 foi mais um ano extraordinário para o nosso clima”, disse o diretor-geral da OMM, Petteri Taalas, pedindo mais esforços para conter as emissões que estão provocando a mudança climática.

As concentrações de gases de efeito estufa atingiram um novo recorde em 2019, e neste ano continuaram subindo, apesar de uma queda de emissões esperada devido aos lockdowns da Covid-19, disse a OMM no mês passado. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: