Líderes de ONGs brasileiras vão buscar inspiração no Vale do Silício

Getty Images
Getty Images

O projeto “Missão Impacto Social” promoverá encontros virtuais entre o terceiro setor do Brasil e companhias como Netflix e Google

A Aliança para Lideranças de Impacto no Setor Público e no Terceiro Setor, coalizão formada pela Fundação Brava, Fundação Lemann, Instituto Humanize, e República.org, quer aproximar 30 lideranças de ONGs brasileiras a representantes de empresas do Vale do Silício. Para isso, criou o projeto Missão Impacto Social, que ocorrerá entre março e maio deste ano, e também conta com apoio técnico da BayBrazil.

BrazilLAB, Conexsus, Fundação Estudar, Sou da Paz, Vetor Brasil e CIEB são seis das 30 ONGs brasileiras que participarão do Missão Impacto Social, conforme informações cedidas com exclusividade à Forbes pela organização do projeto. As áreas de atuação das instituições são diversas, tais como meio ambiente e sustentabilidade, tecnologia e inovação, educação, administração pública, segurança pública e justiça social, saúde pública e proteção social.

Nos três meses do projeto, as lideranças do terceiro setor brasileiro participarão de seis encontros virtuais. Cada uma das reuniões abordará um tema diferente, passando pelos seguintes tópicos: desenvolvimento de equipes e lideranças; pensamento sistêmico; captação de recursos e novas formas de financiamento; desenho organizacional e planejamento estratégico; gestão e avaliação de impacto; e gestão de redes e parceiros.

SAIBA MAIS: Por que investir em negócios de impacto requer uma mudança de mentalidade

A gerente de projetos da Fundação Brava e coordenadora da Missão Impacto Social, Bruna Mattos, diz que os temas escolhidos refletem os principais desafios do terceiro setor brasileiro. “Acreditamos que desse encontro entre Brasil e Vale do Silício possam surgir aprendizados, trocas de experiências e conexões que contribuam para a atuação das instituições e para um momento de novas demandas para o terceiro setor.”

O novo momento, de acordo com a presidente executiva da Fundação Brava, Letícia Piccolotto, aparece depois de um ano desafiador. “Além dos efeitos da pandemia de coronavírus, o Brasil testemunhou incêndios florestais sem precedentes, dificuldades na oferta de educação e a pobreza extrema aumentou”, afirma. “A incorporação de novas tecnologias, inovações e modos de fazer nunca foi tão necessária [para o terceiro setor].”

Durante a iniciativa, as 30 lideranças de ONGs brasileiras entrarão em contato com executivos de empresas renomadas do Vale do Silício, como Netflix e Google. Também estão previstos encontros com representantes de instituições do terceiro setor norte-americano, como a Betty Moore Foundation e o Fundo de Investimentos Sociais NeSst.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).