Apresentado por       

Greta Thunberg pede "pressão pública em massa" para combater mudança climática

A importante conferência da ONU colocará à prova a ambição dos países para limitar o aquecimento global

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
Jessica Gow/TT News Agency
Jessica Gow/TT News Agency

Greta Thunberg em protesto em Estocolmo (Fridays For Future) no Parlamento sueco em Estocolmo

Acessibilidade


Com um pedido por pressão “em massa” para o combate à mudança climática na esteira de um relatório desalentador divulgado hoje (9) por uma comissão científica da ONU, a ativista Greta Thunberg disse que agora planeja comparecer à conferência global do clima em Glasgow, na Escócia.

A importante conferência da ONU colocará à prova a ambição dos países para limitar o aquecimento global, que um relatório científico histórico de hoje alertou estar perigosamente perto de crescer acima dos limites com os quais os países concordaram.

LEIA MAIS: Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Espero que isto possa ser um despertar, em todos os sentidos possíveis”, disse Thunberg sobre o relatório em uma entrevista à Reuters.

“Quando estes eventos climáticos extremos estão acontecendo, muitas pessoas dizem: ‘o que será preciso para as pessoas no poder começarem a agir? O que estão esperando?’. E será preciso muitas coisas, mas especialmente será preciso uma pressão em massa do público e uma pressão em massa da mídia”, disse.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O relatório da ONU chega só três meses antes da conferência de Glasgow, agendada para novembro.

Thunberg, que estimula os jovens a protestarem por ações climáticas em todo o mundo, havia dito inicialmente que não iria ao evento por receio de que a distribuição desigual de vacinas contra Covid-19 em todo o planeta impediria alguns países de participar de forma segura.

Mas a oferta do Reino Unido, que em junho propôs vacinar os delegados, amenizou parte desta preocupação, disse a ativista sueca de 18 anos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: