Apresentado por       

Chevron planeja investir US$ 600 milhões em parceria com Bunge para diesel renovável

O investimento resultará em uma joint venture cuja participação será dividida igualmente entre as companhias .

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Lucy Nicholson
REUTERS/Lucy Nicholson

O investimento resultará em uma joint venture cuja participação será dividida igualmente entre as companhias

Acessibilidade


A petroleira Chevron planeja investir cerca de US$ 600 milhões em duas instalações de esmagamento de soja de propriedade da empresa de commodities agrícolas Bunge, garantindo futura matéria-prima para combustíveis renováveis, afirmaram ambas as empresas hoje (2).

O investimento resultará em uma joint venture 50/50, nos termos do memorando de entendimento que as empresas firmaram.

As refinarias americanas têm aumentado sua produção de combustíveis renováveis, estimuladas por incentivos federais e estaduais, e buscam garantir ofertas de óleos vegetais, gordura animal e óleo de cozinha usado, que algumas refinarias dizem ser difícil de obter.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A Chevron teria o direito de preferência para o óleo de soja esmagado pela Bunge, segundo as empresas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As refinarias estão buscando parcerias com produtores agrícolas para obter e processar óleos vegetais para poderem produzir combustíveis verdes, como o chamado diesel renovável.

A joint venture proposta da Chevron e Bunge incluirá a expansão das instalações da Bunge em Destrehan, Louisiana, e Cairo, Illinois, para quase dobrar sua capacidade até 2024.

As instalações atualmente processam 7.000 toneladas de soja por dia, que podem produzir cerca de 330.000 a 340.000 galões de diesel à base de soja.

No início deste mês, a Marathon Petroleum anunciou que construiria um complexo de processamento de soja com a ADM em Spiritwood, Dakota do Norte, como parte de uma joint venture na qual a Marathon receberá acesso exclusivo ao óleo de soja.

Ao contrário de outros combustíveis verdes, como o biodiesel, o diesel renovável pode abastecer motores automotivos sem ser misturado ao diesel derivado do petróleo bruto, tornando-o uma opção de menor poluição.

Os preços do óleo de soja mais do que dobraram no ano passado, dificultando os planos de alguns refinadores.

Ambas as empresas afirmaram que vão explorar matérias-primas de baixo carbono e possibilidades de pré-tratamento.

A Bunge já fornece óleo de soja para a Chevron, que coprocessa pequenas quantidades de diesel renovável em sua refinaria de El Segundo, Califórnia.

Enquanto a Chevron informou que a quantidade de diesel renovável que produzirá será impulsionada pelas condições do mercado. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: