Edu Lyra e Fundación Mapfre investem no poder do empreendedorismo feminino da favela

Serão 6000 mulheres em 4 estados que receberão capacitação, além de apoio financeiro para 77 negócios com maior impacto em geração de renda.

Fabiana Corrêa
Compartilhe esta publicação:

O empreendedor social Edu Lyra, que já figurou na lista das personalidades mais influentes com menos de 30 anos da Forbes

Acessibilidade


Usar a força de trabalho e inovação das mulheres para aliviar o impacto da crise econômica na favela é a ideia que norteia o novo projeto com a assinatura de Edu Lyra, empreendedor social fundador da ONG Gerando Falcões, que em 2014 figurou na lista dos brasileiros mais influentes com menos de 30 anos da Forbes. No início de outubro, Lyra também foi indicado como um dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo abaixo de 40 anos pelo ranking MIPAD (Most Influential People of African Descent). “A favela brasileira é muito feminina e, com a pandemia, elas foram terrivelmente afetadas”, diz Edu Lyra. que está criando um programa em parceria com a Fundación Mapfre, braço social da seguradora espanhola, para apoiar 6 mil mulheres de 7 favelas de São Paulo e São José do Rio Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR) e Florianópolis (SC) a se tornarem empreendedoras. 

O programa #Pra Frente oferecerá 4 meses de capacitação por meio do app Gerando Educação e de aulas presenciais. O investimento da Fundación Mapfre é de R$ 3 milhões em educação, segurança alimentar e incentivo aos negócios. “Isso é parte de um investimento total de R$ 18 milhões que estamos fazendo na recuperação do país em 2021”, diz Bernardo Barroso, especialista em sustentabilidade da Fundación Mapfre. 

SAIBA MAIS: Lyra: “Sair na lista colocou luz sobre minha liderança”

De início, as participantes recebem um auxílio-alimentação no valor de R$ 100 mensais a serem gastos, preferencialmente, nas comunidades onde vivem, como forma de incentivo à economia local. Durante o programa, receberão formação em  empreendedorismo e qualificação profissional,  desenvolvimento emocional, direitos sociais e emancipação financeira (mentoria para criação e desenvolvimento de negócios).  As inscrições continuam abertas e devem ser feitas presencialmente nos locais onde acontecem as aulas.  Ao final, 77 negócios serão escolhidos por meio de um edital e cada um receberá investimento de R$ 4.500. A preferência será pelos negócios que tiverem maior impacto  em geração de renda.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mais da metade da população feminina acima de 14 anos ficou fora do mercado de trabalho no terceiro trimestre de 2020. Essa perda foi um dos fatores que motivou a escolha do público para o projeto. “Durante a pandemia, a Gerando Falcões distribuiu mais de R$ 70 milhões em cestas básicas digitais, entregues diretamente às chefes de família”, diz Edu Lyra. “A mulher é disciplinada e comprometida, por isso os projetos focados nas nelas têm mais chances de criar impacto real.”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.


Compartilhe esta publicação: