COP26: Brasil aumenta meta de redução de emissões para 50% até 2030

Novos objetivos serão formalizados durante negociações em Glasgow.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

De acordo com o ministro Joaquim Leite, as duas novas metas, mais ambiciosas, serão formalizadas durante as negociações em Glasgow,

Acessibilidade


O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, afirmou hoje (01), durante a COP26 em Glasgow, que o Brasil elevou suas metas de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa para 50% em 2030, ante a proposta inicial de 43%, e afirmou ainda que o país atuará para chegar à neutralidade das emissões até 2050.

De acordo com o ministro, que chefia a delegação brasileira na reunião da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre o clima, as duas novas metas, mais ambiciosas, serão formalizadas durante as negociações em Glasgow, onde acontece a conferência.

LEIA TAMBÉM: COP26: Guterres pede a líderes que reforçem promessas climáticas

PARTICIPAÇÃO DE BOLSONARO

Em uma mensagem gravada para a conferência da Organização das Nações Unidas sobre o clima, COP26, o presidente Jair Bolsonaro informou que autorizou a elevação das metas de redução de emissão de gases do efeito estufa a serem apresentadas pelo Brasil no encontro e disse que o país é parte da solução para as mudanças climáticas, e não do problema.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em um evento organizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), Bolsonaro ressaltou o programa Crescimento Verde, lançado na semana passada, e o financiamento de ações de economia verde.

“Repito minha mensagem a todos que participam da COP26 e aos brasileiros: o Brasil é parte da solução para superar esse desafio global. Os resultados alcançados até 2020 demonstram que podemos ser ainda mais ambiciosos”, disse.

Bolsonaro não irá a COP26. Ao deixar a Cúpula do G20, de onde a maioria dos líderes foi diretamente para Glasgow, o presidente ficou na Itália. Nesta segunda, visitou a cidade de onde emigraram seus bisavós, Anguillana Vêneta, onde recebeu o título de cidadão honorário. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: