ESG está mais presente nos segmentos de beleza e finanças

Andressa Barbosa
Compartilhe esta publicação:
Getty Images

Também foram identificadas as empresas que, na visão das pessoas, melhor atuam considerando o contexto ambiental, social e de governança, são elas: Natura e O Boticário

Acessibilidade


Beleza, bancos, limpeza, eletrodomésticos, moda, big techs, personal care e varejo. A lista de segmentos positivamente associados à percepção das pessoas em relação à práticas de ESG é cada vez maior. O mapeamento quemapeou esse contexto foi feito pela agência Lew’Lara\TBWA, em parceria com a DCODE. Além disso, também foram identificadas as empresas que, na visão das pessoas, melhor atuam considerando o contexto ambiental, social e de governança, são elas: Natura e O Boticário. 

“Não há como conduzir as marcas dos nossos clientes em direção ao futuro sem falar em ESG, cada vez mais as pessoas cobram a responsabilidade de contribuírem ativamente para o desenvolvimento da sociedade e do Planeta, como especialistas em construção de marcas sentimos uma grande necessidade de entender como as pessoas estão percebendo as ações e como a atuação em práticas ESG tem contribuído para melhorar a reputação das marcas frente a seus consumidores”, comenta Raquel Messias, Chief Strategy Officer da Lew’Lara\TBWA.

O “ESG Consumer Index” contou com 2.000 participantes com perfis variados, para identificar as iniciativas ESG de 160 marcas de diferentes segmentos. “Criado inicialmente pelo mercado financeiro, os indicadores ESG, que avaliam boas práticas, estão ganhando protagonismo como um dos pilares principais do branding contemporâneo. Os consumidores estão atentos na hora de comprar, por isso, optam por marcas responsáveis quanto aos aspectos ambientais, sociais e de governança. Mas como será que o consumidor nota o esforço das marcas?”, destaca Raquel. 

LEIA TAMBÉM: Como saber se um investimento é realmente ESG

Segundo Cesar Ortiz, CEO da DCODE, “pela primeira vez um estudo é feito para entender o resultado das ações ESG na ponta final, para a parte interessada que efetivamente compra e consome o produto ou serviço. Estamos trazendo mais uma camada de informações que complementa a discussão ESG já consolidada no mercado financeiro e, muitas vezes, do lado de dentro das empresas.” 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Compartilhe esta publicação: