As vantagens de agir antes na compra de créditos de carbono

Compensar a pegada de carbono da sua empresa pode ser caro, mas, se antecipando, você pode fazer isso mais facilmente

Carrie McCabe
Compartilhe esta publicação:
Treesforall/Forbes
Treesforall/Forbes

Compensação de carbono para viagens aéreas

Acessibilidade


Se os dados ESG são como um ‘mundo selvagem’, então comprar os primeiros créditos de carbono para compensar a pegada de carbono de sua empresa é certamente parecido com estar em um universo alternativo.

Conforme falamos em colunas anteriores, a medição de dados ESG pode ser confusa e inconsistente. Especialmente ao passar de títulos públicos para títulos privados — embora alguns grupos, incluindo a ESG Data Convergence Initiative (anteriormente Data Convergence Project) e a Novata, estejam abrindo caminho para melhorar as dificuldades de mensuração de títulos privados.

Leia mais: Distribuidora da Neoenergia contrata financiamento “verde”

Então como podemos pensar em compensações de carbono para a pegada de CO2 de nossa empresa? Se formos um gestor de ativos, temos o duplo dilema da pegada de nossa empresa e da pegada de nossos portfólios de ativos.

Para fins ilustrativos, vamos usar um elemento simples em comum. Como todas as empresas têm sua própria pegada corporativa – vamos começar por aí –, olhe um dos elementos comuns dentro da pegada corporativa: as viagens aéreas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Uma estrutura simples para compensar a pegada de carbono de uma empresa de viagens aéreas pode ser algo assim:

1) Medir a pegada de CO2 da empresa em viagens aéreas

Existem sites como o myclimate em que se pode calcular voos individuais e depois comprar compensações de carbono online, uma opção simples, mas mais cara. Por exemplo, uma viagem econômica de ida e volta sem escalas entre o Aeroporto Internacional de Los Angeles e o  JFK é de cerca de 6.000 milhas, com emissão de CO2 de 1,3 toneladas. US$ 40 (R$ 215, na cotação atual) é o preço por meio de projetos de compensação de carbono em países em desenvolvimento, ou até US$ 124 (R$ 666) para compensar na Suíça, tudo disponível para compra online imediata.

Uma abordagem mais complexa e menos cara é calcular a pegada de uma empresa usando dados externos. Por exemplo, uma empresa pode utilizar dados da Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA), que mede as emissões de carbono há anos. Sua calculadora de Equivalências de Gases de Efeito Estufa permite converter emissões ou dados de energia para a quantidade equivalente de emissões de dióxido de carbono (CO2). Os dados apresentados no site podem ser usados ​​para calcular a pegada geral de viagens aéreas de uma empresa.
Para o nosso exemplo, vamos supor que somos uma empresa de private equity com cerca de 400 funcionários em uma dúzia de escritórios em todo o mundo – e calculamos nossas emissões anuais diretas de CO2 em viagens aéreas em 3.500 toneladas.

2) Avaliar para desenvolver uma estratégia de compensação de CO2 para as viagens aéreas da empresa

Conforme observado acima, a solução de alto custo é comprar compensações individuais online para voos individuais. Uma solução de custo mais baixo, embora não para os fracos de coração, é comprar créditos de carbono por meio de trocas de mercado. Eles projetam que o tamanho do mercado global de compensação voluntária de carbono chegará a US$ 2,7 trilhões (R$ 10,8 trilhões) até 2028, acima dos US$ 536 milhões (R$ 2,9 bilhões) em 2021, com um CAGR de 25,7%.

Nos atuais mercados de carbono, o preço de um crédito de carbono pode variar de alguns dólares por tonelada métrica de emissões de CO2 – a US$ 15/tonelada (R$ 80) ou mesmo US$ 20/tonelada (R$ 107) para projetos de reflorestamento – a US$ 100 (R$ 537) a US$ 300/tonelada (R$ 1,6 mil) para projetos de remoção baseados em tecnologia, como como captura e armazenamento de carbono (CCS).

A solução atual mais econômica é trabalhar com corretores de crédito de carbono para comprar partes de projetos reais de compensação de carbono. Como pano de fundo, o Texas Pacific Group (TPG) recentemente combinou a Element Markets e a Bluesource para criar a Anew , a maior empresa de descarbonização da América do Norte e uma das maiores do mundo.

A Anew tem centenas de projetos que uma empresa pode escolher – de silvicultura a energias renováveis ​​e eficiência de transporte – que podem ser distribuídos para avaliação por safra, volume, preço/tonelada e entrega. Por exemplo, pode haver um projeto de parque eólico na China com preço de US$ 10/tonelada (R$ 53) um projeto de conservação florestal no Maine com preço de US$ 17,50/tonelada (R$ 94). Podemos escolher um projeto de conservação florestal de Nova York a US$ 17/tonelada para nossa compensação – então, nosso custo seria de cerca de US$ 60.000 (R$ 322,6 mil) para uma compensação anual de nossas 3.500 toneladas de emissões de CO2 no ar. Além disso, em termos de eficiência – e porque as compensações só parecem estar aumentando de preço – podemos comprar US$ 120.000 (R$ 645,4 mil) em compensações de carbono para cobrir os próximos dois anos de viagens aéreas de nossa empresa.

É importante notar que neste universo alternativo de mercados de compensação de carbono definitivamente existe uma vantagem em fazer um “movimento inicial” na compra de compensações de carbono. Os preços em muitas categorias aumentaram de 30% a 50% em menos de doze meses.

“Me leve para cima, Scotty… ”, como dizem em Star Trek.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: