12 razões para visitar a Croácia

Graças em parte à deslumbrante competição pela taça da Copa do Mundo, a Croácia está mais popular do que nunca, embora a cada ano um número maior de viajantes busque esse paraíso no mar Adriático, conhecido por suas cidades ricamente históricas e sugestivas, comida e vinho excepcionais e águas fantásticas.

LEIA MAIS: 10 destinos mais populares do mundo para cruzeiros

Wanda S. Radetti, fundadora e presidente da VisitCroatia.com/Tasteful Croatian Journeys, citada pela revista “Condé Nast Traveller” como a melhor especialista em viagens pela Croácia há mais de uma década, conhece o país por dentro e por fora.

Abaixo, ela compartilha suas recomendações sobre onde ir, o que comer e o que ver. Veja, na galeria de fotos abaixo, 12 razões para visitar a Croácia:

  • 1. Se você tiver tempo apenas para umas férias curtas

    “Para uma semana de estadia, recomendo (e planejo itinerários) que comecem em Split, a cidade onde o imperador romano Diocleciano construiu sua casa de repouso (o Palácio de Diocleciano, hoje Patrimônio Mundial da UNESCO) há mais de 1.700 anos. Então, eu passaria a noite na ilha Korčula, uma das minhas favoritas entre as 1.244 ilhas, ilhotas e penhascos que enfeitam a costa da Croácia. De Korčula, eu viajaria pelas estradas do vinho e apreciaria os panoramas deslumbrantes da Península de Pelješac para chegar a Dubrovnik, a cidade mais requisitada pelos viajantes. Já Istria é uma região popular para explorar se você estiver visitando a Croácia pela segunda vez”, conta Wanda.

    Reprodução/FORBES
  • 2. Navegar na Croácia não se trata apenas de praias…

    “As ilhas mais interessantes e maiores exibem milhares de anos de arquitetura e arte, que, como a comida e o vinho do país, foram influenciados pelos colonos gregos, pelos ilírios, pelos romanos e pelas tribos eslavas que sucumbiram às seduções do Mar Adriático e o Império Austro-Húngaro.”

    Reprodução/FORBES
  • 3. …mas há muitos paraísos costeiros

    “As melhores praias são as menos acessíveis, sendo indicado ir de barco”, diz Wanda. “Isso incluiria Lubenice, na ilha de Cres; Bol, na ilha de Brac; as ilhas do Parque Nacional de Kornati; e Stiniva Cove, na ilha de Vis. A temporada para nadar na Croácia ocorre entre o final de maio e início de outubro, conta Wanda, dependendo se você está na parte norte ou sul do mar Adriático.

    Reprodução/FORBES
  • 4. Você pode navegar pelas excepcionais ilhas Kornati

    “O Parque Nacional de Kornati é minha área favorita quando navegamos pelo mar Adriático. Eu não poderia sugerir isso para visitantes de primeira viagem à Croácia, porque as ilhas, como uma área protegida do Parque Nacional, são raramentes visitadas e ganham vida com visitantes que chegam em iates durante os meses de verão. Embora a navegação no parque tenha um preço mais alto, a experiência vale cada centavo gasto. Um bom capitão sabe onde estão localizados os melhores restaurantes sazonais de gestão familiar, onde é seguro jogar âncora durante a noite e, em agosto, vai o ajudar a batizar estrelas na noite de San Lorenzo.”

    Reprodução/FORBES
  • 5. Ainda existem pontos interessantes e acessíveis

    “A cidade de Osijek, na Eslavônia, não foi descoberta pelas multidões, mas tem uma história interessante, influências húngaras, comida saborosa e ótimos vinhos. Zagreb no verão é outra opção. Passe a noite no elegante Esplanade Hotel, uma bela joia Art Deco cinco estrelas construída perto da estação ferroviária, em 1925, quando o Expresso do Oriente parou em Zagreb. Explore o antigo centro histórico e não deixe de visitar o colorido e barulhento Mercado Dolac, no coração da cidade. Não deixe de visitar o Museum of Broken Relationships e se delicie com a sobremesa favorita da cidade, o Kremšnita, um bolo de camadas semelhante a um mil-folhas”, indica Wanda.

    Reprodução/FORBES
  • 6. O que experimentar da gastronomia

    1. Ístria: “Trufas negras são colhidas durante todo o ano. A temporada de trufas brancas começa em setembro e geralmente dura até janeiro. Você pode aprender a caçar trufas e as desenterrar. Conduzidas por caçadores de trufas especialmente treinados, essas viagens são mais bem organizadas quando se explora as cidades montanhosas de Motovun, Groznjan e Buzet, com vista para o vale de Mirna.”

    2. Kvarner e sua região montanhosa de Gorski Kotar: “Experimente a polenta e os cogumelos porcini. Em uma viagem, o tempo nos fez parar em Fužine, nas terras altas de Gorski Kotar. O chef preparou pessoalmente porcini branco para completar a deliciosa polenta macia, fumegante e dourada. Pernas de rã são uma especialidade da região. E os lagostins do Golfo de Kvarner são considerados os melhores do mundo.”

    3. Dalmácia: “A ilha de Pag, uma das maiores do mar Adriático, é conhecida pelo sal marinho, pelas rendas e pelo premiado queijo duro Paski Sir, feito do leite de uma raça especial de ovelhas pequenas, que produzem uma quantidade limitada de um leite muito salgado. Ston [perto de Dubrovnik], na ponta da Península de Pelješac, tem algumas das melhores ostras do Mediterrâneo. É também o local das salinas mais antigas do Mediterrâneo, com 4 mil anos de tradição de colheita antiga”, observa Wanda.

  • 7. Há grandes vinhos e trilhas de enoturismo também

    As recomendações de Wanda incluem: em Istria, os vinhos Malvasia e Teran, favoritos dela. Na Península de Pelješac, em Dingač, em Plavac Mali e em Postup, são encontrados alguns dos melhores vinhos do país. Na ilha Korčula, experimente o Posip, o Plavac Mali e o Grk. ”

    Reprodução/FORBES
  • 8. Três pratos obrigatórios para experimentar

    “Fuzi, a massa fresca e artesanal da Ístria, coberta com manteiga orgânica e trufa branca triturada. O Scampi alla Buzara é um dos pratos mais sedutores do norte do mar Adriático. Outra opção deliciosa nas áreas costeiras é o Crni Rižot (risoto preto), feito com tinta de lula e outros frutos-do-mar. E o tradicional Peka, um prato que pode ser preparado com qualquer tipo de carne ou peixe, batatas, verduras, ervas, temperos e um pouco de vinho. Os melhores ingredientes são os locais e frescos.”

    Reprodução/FORBES
  • 9. Você pode desfrutar da dieta mediterrânea ao máximo

    “Em toda parte, ao longo da costa e nas ilhas, o peixe fresco, apenas assado com um toque de azeite produzido localmente e com raspas de limão polvilhadas por cima, é o destaque. Legumes e frutas são sempre orgânicos.”

    Reprodução/FORBES
  • 10. Há uma abundância de hotéis-boutique para escolher

    “Muitos fazem parte da Associação de Pequenos e Familiares Hotéis da Croácia. Essas propriedades-boutique menores são as mais desejadas pelos nossos viajantes, porque têm valor histórico e proporcionam o tipo de experiência intimista que vem de tradições familiares de longa data de hospitalidade.”

    Reprodução/FORBES
  • 11. Deleite-se com o glamour do Velho Mundo em Opatija

    “Durante o império austro-húngaro, Opatija foi o playground da realeza europeia. Lindas vilas são o testemunho de uma época em que a capital do império, Viena, esvaziava no verão e os vienenses chegavam para desfrutar dos refrescantes ventos e do mar do Golfo de Kvarner. ”

    Reprodução/FORBES
  • 12. Se você quiser viajar de barco, há muitas opções

    Embora a maioria das opções seja organizada por uma semana (normalmente de sábado a sábado), você também pode reservar um passeio de um dia. “Normalmente, um iate por um dia com tripulação de Split a Hvar e/ou às ilhas Korčula custa a partir de € 2.000 [o preço inclui taxas de embarque, combustível, impostos etc.]. O aluguel de um iate para explorar as ilhas próximas de Dubrovnik começa em aproximadamente € 1.800”, conta Wanda.

    Você também pode reservar uma jornada só de ida. “Por exemplo, para Dubrovnik ou vice-versa. Com um contrato de ida, você paga uma taxa adicional para cobrir o custo do retorno do iate ao porto de origem. Às vezes, você tem de desembarcar um dia antes para permitir o retorno do barco também.”

    É muito importante que os hóspedes do iate sem experiência procurem uma empresa especializada. “Você precisa ter certeza de que o agente seja pessoalmente familiarizado com o iate e que ele saiba a idade e a história do barco. Certifique-se de que a embarcação esteja licenciada para navegar na Croácia e nunca sucumba ao que parece ser um bom negócio oferecido para pagamento apenas em dinheiro”, ensina Wanda.

    Reprodução/FORBES

1. Se você tiver tempo apenas para umas férias curtas

“Para uma semana de estadia, recomendo (e planejo itinerários) que comecem em Split, a cidade onde o imperador romano Diocleciano construiu sua casa de repouso (o Palácio de Diocleciano, hoje Patrimônio Mundial da UNESCO) há mais de 1.700 anos. Então, eu passaria a noite na ilha Korčula, uma das minhas favoritas entre as 1.244 ilhas, ilhotas e penhascos que enfeitam a costa da Croácia. De Korčula, eu viajaria pelas estradas do vinho e apreciaria os panoramas deslumbrantes da Península de Pelješac para chegar a Dubrovnik, a cidade mais requisitada pelos viajantes. Já Istria é uma região popular para explorar se você estiver visitando a Croácia pela segunda vez”, conta Wanda.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).