Venda de artigos de luxo pela internet aumentou 22% em 2018

Getty Images
Aumento das vendas online de produtos de luxo foi de 22% segundo a Bain & Company

Lojas físicas serão, cada vez mais, espaços para experiências — não necessariamente vendas — entre marcas e clientes. Esta é uma das perspectivas traçadas pela consultoria Bain & Company, que anualmente divulga uma detalhada pesquisa sobre o mercado de alto padrão. A 17ª edição do estudo, tocado em parceria com a italiana Fondazione Altagamma, mostra que as vendas de luxo online no mundo subiram 22% em relação a 2017, chegando a um total de € 27 bilhões.

LEIA TAMBÉM: Mercado de luxo chinês ameaça hegemonia do Ocidente

Os Estados Unidos lideram as vendas online, com 44%, seguidos de perto pela Ásia, que ficou à frente da Europa. O Brasil, infelizmente, costuma aparecer de maneira tímida na pesquisa, e neste ano foi citado como mercado com queda de movimento no luxo. O estudo credita a retração verde-e-amarela ao momento de transição política.

Bolsas e sapatos são os itens mais adquiridos via comércio digital, seguidos por roupas. Beleza, joias e relógios começam a crescer, no entanto. O levantamento aponta, ainda, que a venda por canais das próprias grifes foram 31% do total, percentual quase tão grande quanto os de e-commerces multimarcas, com 39%.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).