Os melhores hotéis de maconha do mundo

Getty Images
Hospedagens oferecem produtos e tratamentos de spa à base da erva

Resumo:

  • Balas, cremes, massagens com cremes de CBD e vaporizadores são alguns dos produtos e serviços oferecidos por hotéis cannabis-friendly;
  • Em um estabelecimento em Seattle, o chef executivo Derek Simcik prepara refeições que levam maconha;
  • Os estabelecimentos estão espalhados majoritariamente pelos Estados Unidos, mas também há locais no Canadá, na Holanda, na Jamaica e no Uruguai.

Lord Jones se tornou a primeira empresa de cannabis a formar uma parceria oficial com uma rede de hotéis ao anunciar em 2018 que o The Standard estocaria sua linha de balas de goma em minibares e butiques de Los Angeles a Nova York.

LEIA MAIS: Snoop Dogg se torna embaixador de frigobar de maconha

Com o novo frenesi do wellness de CBD, hotéis por toda a parte dos Estados Unidos agora oferecem tratamentos criativos e com infusão de maconha nas opções dos spas. Após a inauguração bem-sucedida do primeiro restaurante que usa maconha como ingrediente, em Los Angeles, a indústria de viagens deve seguir o exemplo em breve a partir da implementação de áreas de consumo especiais ou da criação de resorts cannabis-friendly. Enquanto isso, sites de listagem centrados na planta, como o “Bud and Breakfast” e o “Cannabis Hotels”, oferecem bancos de dados com indicações para viajantes que se interessam por marijuana.

Ainda existem restrições nos Estados Unidos que definem áreas do hotel específicas para consumo, como nas varandas privativas dos quartos (da mesma forma que os cigarros, ainda existem multas pesadas por fumar maconha em ambientes fechados e até nos pátios). No entanto, sabe-se que hotéis em estados onde o uso é legalizado fazem vista grossa para fumo em locais abertos, vaping e consumo em formas comestíveis, especialmente naqueles onde é oferecido o CBD ou se vende utensílios relacionados à maconha na propriedade. Além disso, a TSA declarou recentemente que “produtos que contêm óleo de canabidiol derivado de cânhamo ou aprovados pela FDA (Food and Drug Administration) são geralmente legais e podem ser levados no voo” e que “Somos legais e não procuramos pela sua maconha”.

Desde a escolha de um vaporizador PAX à beira da piscina no Dream Hollywood até o check-in em uma cabana na mesma praia em que Bob Marley já viveu, aqui estão os melhores hotéis que aceitam cannabis para uma fuga de atmosfera relaxante.

  • Fairmont Miramar Hotel & Bungalows (Santa Monica, California, nos EUA)

    Eaze, o principal serviço de entrega de maconha da Califórnia, em parceria com a Recreational Embassy, uma curadora de soluções de maconha para o setor de hospitalidade de luxo, introduziu um programa inédito de concierge da planta no Fairmont Miramar Hotel & Bungalows, em Santa Mônica. Como a primeira propriedade a implementar o serviço, ela é estendida aos hóspedes adultos que têm acesso a menus personalizados no quarto, com produtos de cânhamo e cannabis em doses baixas e sem inalação. Por meio da Recreational Embassy, o hotel também oferecerá produtos personalizados de CBD, incluindo uma bomba de banho personalizada com aroma de figo inspirada na figueira da propriedade. No entanto, o Fairmont mantém uma rigorosa política antitabagista e vaping em suas dependências (mesmo nos pátios).

  • The Jupiter (Portland, Oregon, nos EUA)

    O hotel boutique situado em Portland, que recebeu elogios quanto ao design, da revista norte-americana de design “Architectural Digest” em 2016, fez uma parceria com empresas locais para compilar “tudo, menos um kit de maconha” para seus hóspedes que consomem a planta. Embora nenhuma flor ou óleo de cannabis esteja incluída, uma bolsa de viagem colorida é preenchida com a última edição da “Oregon Leaf” (publicação mensal gratuita sobre cannabis) petiscos, uma camiseta do hotel, cupons de desconto para comprar a planta, uma vape pen da marca Jayne, isqueiro e moedor.

  • Casa Stefano (Oceania del Polonio, Rocha, no Uruguai)

    Como o primeiro país do mundo a legalizar federalmente a cannabis, o destino à beira-mar de Punta del Este, no Uruguai, não aproveitou completamente o turismo no que diz respeito a hospedagens que permitem o uso da planta. Em contrapartida, o “Bud and Breakfast” mostra mais de 20 opções no país. Após reservar uma ou algumas noites em uma de suas alternativas em Montevidéu, siga em direção ao leste, até a cidade litorânea mais movimentada, Oceania del Polonio, para ficar neste bangalô de inspiração italiana, projetado pelo arquiteto Cosimo Venti. É possível cozinhar peixes pescados no dia na grelha da varanda com pavimento de madeira queimada, onde você também está livre para desfrutar de cannabis, antes de adormecer ao som das ondas quebrando a poucos passos de um dos dois quartos.

  • Hotel Teatro (Denver, Colorado, nos EUA)

    Como o primeiro hotel da cidade a implementar um programa oficial de coquetéis CBD no menu de seu restaurante, ele também é sede de uma série contínua de workshops e eventos especiais. Experimente a sensação de calma ao saborear o The Chill Lebowski (vodca, licor de pimentão Ancho Reyes, Frangelico, café espresso, xarope de mel e clara de ovo) ou o Super Limoncello Haze (limoncello caseiro, licor de gengibre Domaine de Canton, bitters de cereja e chantilly), ambos infundidos com 12 miligramas de CBD da empresa de cânhamo SUPERGOOD, com matriz em Denver.

  • St. Julien Hotel & Spa (Boulder, Colorado, nos EUA)

    Localizado a uma quadra da Pearl Street, o St. Julien Hotel & Spa é o acampamento base mais luxuoso de Boulder. O estabelecimento com 201 quartos possui um lobby no estilo de sala de estar, restaurante premiado, bar de coquetéis e amplo pátio externo com vistas deslumbrantes. Mas o mais impressionante é o salão de spa que oferece grande diversidade de serviços em 929 metros quadrados, com uma piscina coberta de 15 metros, duas banheiras de hidromassagem grandes e uma academia. Em junho, a diretora do espaço, Susan Hunnell, lançou a nova série de tratamentos “Colorado Bliss” que utilizam uma variedade de produtos CBD da CAUSE + MEDIC.

  • The Standard Spa (Miami, Flórida, nos EUA)

    Mime seus pés com o Royal Chill Treatment (US$ 175 por 60 minutos), uma massagem que com banho e esfoliação, seguida de um ritual de reflexologia, que consiste na aplicação de pressão nos pés e nas mãos de forma a produzir um efeito em outra parte do corpo. Ao usar a loção corporal best-seller High CBD Formula, de Lord Jones, e uma variedade de técnicas, que inclui o equilíbrio dos pontos pressionados na prática terapêutica, diga adeus a incômodos e dores para que possa colocar seus saltos novamente, a fim de aproveitar mais uma noite na Cidade Mágica. Os hóspedes do hotel também podem encontrar gomas Blood Orange CBD Gumdrops de Lord Jones (um sabor exclusivo picante, doce e cítrico, criado em parceria com The Standard) no spa boutique e frigobares do quarto, além de apetrechos para fumantes na loja de presentes, como cachimbos de cerâmica da Stonedware Company, papéis para enrolar, isqueiros e frascos.

  • The Bulldog Hotel (Amsterdam, na Holanda)

    Sim, ainda é ilegal consumir em um hotel, e as seleções do Airbnb são escassas na terra original das coffeshops de maconha. No entanto, o ousado Bulldog consegue fazer suas próprias regras. Todos os quartos no estilo hostel são para não fumantes, mas há um terraço na cobertura e o loungebar do lobby onde você pode utilizar a planta, comer e beber. Dica importante: supondo que você não queira reviver seus dias de estudo no exterior, reserve a suíte privada.

  • Dream Hollywood (Los Angeles, Califórnia, nos EUA)

    O PAX Labs, fabricante de vaporizadores inteligentes conta com dispositivos disponíveis para compra no quarto do hotel e no pátio da piscina (embora o local não ofereça aos visitantes flor de cannabis ou pods compatíveis). Fácil como desbloquear seu iPhone, os pedidos chegam onde o hóspede precisar.

  • Calistoga Motor Lodge and Spa (Napa Valley, Califórnia, nos)

    Este retiro descontraído incorporou recentemente o CBD ao seu menu de tratamentos de spa, oferecendo dois tratamentos exclusivos. O CBD Soak (US$ 75 por 25 minutos de uso) é um sal de banho próprio para ajudar no pós-treino, reduzindo a inflamação e aliviando o stress. A CBD Massage (US$ 145 por 50 minutos) usa um creme corporal derivado do cânhamo para relaxar os músculos, a pele e a alma.

  • Sir Sam’s Inn and Water Spa (Ontario, no Canadá)

    Como o primeiro resort publicamente favorável ao consumo de maconha do Canadá, em colaboração com os Cannabis Hotels, o Sir Sam’s Inn & Spa fica na margem do Lago Eagle, no Planalto de Haliburton. Oferecendo a opção de consumir abertamente do lado de fora em pátios e áreas comuns, o playground dos adultos oferece aventuras de caiaque, vela e caminhadas no verão em trenós puxados por cães, esqui e surfe no inverno, além de um restaurante gourmet e spa com foco em água.

  • La Quinta Resort & Club (Palm Springs, Califórnia, nos EUA)

    Situado sob as acidentadas montanhas de Santa Rosa, o icônico Spa La Quinta dentro do hotel operado pelo Waldorf Astoria acaba de lançar um tratamento exclusivo baseado em plantas. A massagem CBD VYBES Calm and Balance (US$ 250 por 50 min) começa com uma degustação de três sabores de água de cânhamo orgânica VYBES. As essências incluem manjericão e maçã e tangerina queimada, seguida de uma massagem corporal completa com óleo CBD Care Garden e limpeza com água VYBES, mais usada após o serviço.

  • The St. Regis Aspen Resort (Aspen, Colorado, nos EUA)

    Dentro desta montanha é onde massoterapeutas e esteticistas oferecem uma atualização do CBD para qualquer tratamento. Em parceria com a empresa de cânhamo That’s Natural!, a linha de produtos com infusão inclui óleo, loção para o corpo e uma pomada, que também estão disponíveis para compra na boutique do spa, para que você possa manter a calma e continuar quando chegar em casa.

  • Thompson Seattle (Seattle, Washington, nos EUA)

    Especialista em culinária de cannabis, o chef executivo Derek Simcik está disponível para os curiosos que pesquisaram antes, já que tais informações canábicas são escondidas dos clientes gerais. Por meio do concierge, o renomado cozinheiro pode realizar um jantar privado em um espaço próximo a hospedagem.

  • Little Bay Cabins (Negril, na Jamaica)

    Ainda que seja indiscutivelmente o destino tropical para os entusiastas da maconha, a planta em si ainda é tecnicamente ilegal na Jamaica, e poucos resorts oficialmente reivindicam status canábico (mesmo que, nas propriedades de luxo, alguns funcionários ofereçam ervas já no check-in). Evite operadores turísticos como o Hot Box Jamaica, que opera seu próprio alojamento, e siga para o Little Bay Cabins fora de Negril. Aqui você encontrará uma fatia intocada da verdadeira cultura Rasta, tão especial que o próprio Bob Marley tinha sua casa na mesma praia. O resort rústico ainda oferece um passeio que o levará a visitar suas ruínas restantes e a dar um mergulho em sua caverna de pessoal de natação.

Fairmont Miramar Hotel & Bungalows (Santa Monica, California, nos EUA)

Eaze, o principal serviço de entrega de maconha da Califórnia, em parceria com a Recreational Embassy, uma curadora de soluções de maconha para o setor de hospitalidade de luxo, introduziu um programa inédito de concierge da planta no Fairmont Miramar Hotel & Bungalows, em Santa Mônica. Como a primeira propriedade a implementar o serviço, ela é estendida aos hóspedes adultos que têm acesso a menus personalizados no quarto, com produtos de cânhamo e cannabis em doses baixas e sem inalação. Por meio da Recreational Embassy, o hotel também oferecerá produtos personalizados de CBD, incluindo uma bomba de banho personalizada com aroma de figo inspirada na figueira da propriedade. No entanto, o Fairmont mantém uma rigorosa política antitabagista e vaping em suas dependências (mesmo nos pátios).

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).