10 cidades mais caras do mundo para viver em 2020

Ranking com mais de 100 lugares mostra que capitais brasileiras estão entre as que registraram o maior aumento do custo de vida no último ano.

Juliana Andrade
Compartilhe esta publicação:
Alexandre Spartari/Getty Images
Alexandre Spartari/GettyImages

Das dez cidades mais caras para fixar raízes em 2020, quatro são asiáticas, três europeias, duas americanas e uma do Oriente Médio

Acessibilidade


Viver nas grandes metrópoles do mundo tem seus benefícios: os mais variados tipos de serviço disponíveis a qualquer momento, estabelecimentos abertos 24 horas por dia, bens de consumo que dificilmente são encontrados longe dos centros urbanos mais populares, além de oportunidades de crescimento profissional e formação acadêmica. Mas ter tudo isso ao alcance das mãos tem um custo e ele não é baixo. É justamente esse o ponto reforçado no levantamento Worldwide Cost of Living 2020 (Custo de Vida no Mundo em 2020, na tradução livre), do The Economist Intelligence Unit.

Das dez cidades mais caras para fixar raízes em 2020, quatro são asiáticas, três europeias, duas americanas e uma do Oriente Médio e todas são grandes centros urbanos de intensa movimentação financeira e econômica.

VEJA TAMBÉM: As cidades mais seguras do mundo em 2019

A novidade deste semestre é o empate de três capitais asiáticas no primeiro lugar (Singapura, Hong Kong e Osaka) –esta é a primeira vez em 30 anos de levantamento que a publicação registra um pódio triplo com centros da Ásia.

O aumento do custo de vida no continente asiático é um fenômeno que tem se estabelecido nos último dez anos do relatório, justamente por serem polos de negócios em ascensão e pelo alto custo do consumo de bens e alimentação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Por outro lado, as tradicionais cidades europeias de Paris, Zurique e Genebra, que em 2019 ocuparam a segunda, quarta e quinta posições do ranking respectivamente, caíram na tabela em decorrência, principalmente, do crescimento lento da zona do euro e desvalorização da moeda em relação ao dólar.

Entre as cidades brasileiras, São Paulo e Rio de Janeiro aparecem no ranking apenas entre as 100 cidades mais caras do mundo. Por outro lado, as duas capitais estão entre os dez locais que registraram os maiores aumentos no custo de vida em relação ao levantamento do ano passado. O movimento representa uma virada de chave, visto que em 2019 as duas cidades estiveram entre as dez com maiores quedas no custo de vida. São Paulo e Rio de janeiro ocuparam a 107ª e 108ª colocação, nesta ordem, no levantamento do ano passado.

A metodologia do levantamento leva em conta os valor de 160 itens selecionados (comida, bebidas, roupas, suprimentos domésticos e de higiene pessoal, aluguéis de casas, transporte, contas de serviços públicos, escolas privadas, ajuda doméstica e custos recreativos), em departamentos populares, especializados e de alto padrão. No total, mais de 50 mil preços de bens e serviços são coletados dos países pesquisados em dois períodos: março e setembro de cada ano. Os valores registrados são convertidos para uma moeda central, o dólar norte americano, com aplicação da taxa de câmbio vigente e ponderada. Para obter obter uma base comparativa equivalente, os preços são comparados aos da cidade de Nova York, que tem índice de custo fixado em 100.

E AINDA: As melhores e as piores cidades do mundo para se mudar em 2020

Veja, na galeria de imagens a seguir, as 10 cidades mais caras do mundo para viver em 2020, além de São Paulo e Rio de Janeiro:

  • 1ª. Cidade-Estado de Singapura

    Pontuação no índice de custo: 102

    Didier Marti/Getty Images
  • 1ª. Hong Kong, China

    Pontuação no índice de custo: 102

    Getty Images
  • 1ª. Osaka, Japão

    Pontuação no índice de custo: 102

    Patrick Foto/Getty Images
  • 4ª. Nova York, Estados Unidos

    Pontuação no índice de custo: 100

    Thinkstock
  • 5ª. Paris, França

    Pontuação no índice de custo: 99

    iStock
  • 5ª. Zurique, Suíça

    Pontuação no índice de custo: 99

    iStock
  • 7ª. Tel Aviv, Israel

    Pontuação no índice de custo: 97

    Tim White/Getty Images
  • 8ª. Los Angeles, Estados Unidos

    Pontuação no índice de custo: 96

    iStock
  • 8ª. Tóquio, Japão

    Pontuação no índice de custo: 96

    iStock
  • 10ª. Genebra, Suíça

    Pontuação no índice de custo: 95

    iStock
  • 96ª. Rio de Janeiro, Brasil

    Pontuação no índice de custo: 54

    iStock
  • 96ª. São Paulo, Brasil

    Pontuação no índice de custo: 54

    iStock

1ª. Cidade-Estado de Singapura

Pontuação no índice de custo: 102

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: