Cachoeiras internas e até cemitério na pista: 8 aeroportos nada convencionais ao redor do mundo

Esperar o tempo antes do embarque pode ser muito divertido em alguns países .

Giovanna Simonetti
Compartilhe esta publicação:
Darren Nunis/Unsplash
Darren Nunis/Unsplash

Esperar o tempo antes do embarque pode ser muito divertido em alguns aeroportos pelo mundo, como o caso do Changi (foto), em Singapura

Acessibilidade


Existem, atualmente, mais de 41.700 aeroportos ao redor do mundo, de acordo com o levantamento “World Factbook”, da agência norte-americana de inteligência CIA. Os Estados Unidos detêm a maior parte desse total, com mais de 13 mil, seguido pelo Brasil, com 4.000. 

A maioria dos aeroportos segue um mesmo padrão e não há muito o que se esperar a não ser balcões de check-in, algumas lojas e restaurantes, cadeiras de descanso e, normalmente, muito estresse. Mas um ou outro consegue sair da mesmice e se destacar por sua infraestrutura diferenciada ou localização nada convencional

LEIA MAIS: 9 aeroportos tão bons que parecem o destino final da sua viagem

Pensando nisso, a Forbes selecionou oito aeroportos inusitados, capazes de oferecer uma experiência muito além do que algumas horas de tédio antes do embarque. Veja, na galeria de fotos a seguir, quais são eles:

  • Aeroporto Changi – Singapura

    Inscreva-se para receber a nossa newsletter
    Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

    O Changi nunca foi um aeroporto qualquer. Muito pelo contrário. Ano após ano no topo da lista de melhores do mundo, ele abriga uma série de atrações que prometem fazer qualquer viajante esquecer que está ali só esperando o tempo passar. Entre suas exuberâncias estão um borboletário, piscina, cinema gratuito 24 horas, instalações de arte e jardins de flores.

    Mas o empreendimento conseguiu elevar ainda mais o nível ao inaugurar, em 2019, seu complexo de luxo Jewel, que sedia nada menos do que a maior cachoeira interna do mundo (com show de luzes e sons à noite), uma floresta com 2.500 árvores e 100 mil arbustos, um espaço de recreação com escorregadores, uma rede suspensa e dois labirintos – um de espelhos e outro de plantas. Como se não bastasse, são mais de 160 lojas e 100 restaurantes em seu interior, além de um hotel com cerca de 130 quartos.

    Divulgação
  • Aeroporto de Kansai – Osaka, Japão

    O diferencial de Kansai é que ele não fica em terra firme. Sem encontrar um terreno apropriado para a obra, engenheiros japoneses construíram uma ilha artificial especificamente para abrigar o único aeroporto internacional de Osaka. O projeto megalomaníaco levou três anos para ficar pronto, em 1994, com o trabalho de 10 mil homens e 80 navios. O estabelecimento tem 4 quilômetros de comprimento por 2,5 quilômetros de largura e se conecta com a cidade por uma enorme ponte.

    iStock
  • Aeroporto Qamdo Bangda – Tibete

    Enquanto Kansai está ilhado, este aeroporto tibetano se encontra nas alturas. Instalado a mais de 4.300 metros acima do nível do mar, ele é o segundo aeroporto mais alto do mundo. Para minimizar os impactos da altitude, o recorde de pista de aterrissagem mais longa também é dele, com 5.500 metros de comprimento – quase três vezes maior do que a de Congonhas, em São Paulo.

    Getty Images
  • Aeroporto de Schiphol – Amsterdã, Holanda

    Quem gosta de arte adoraria fazer uma conexão no principal aeroporto da capital holandesa. Isso porque museus famosos da cidade, como o Rijksmuseum e o NeMo Science Museum, têm mini exposições por lá, com quadros de artistas holandeses e obras interativas. Para relaxar, Schiphol conta com um centro de meditação, um spa express, com diferentes tipos de massagem e tratamentos de beleza, e uma biblioteca (a primeira do mundo em um aeroporto) que reúne centenas de livros, iPads, sofás e até um piano para passar o tempo até a hora de voar.

    Divulgação
  • Aeroporto de Savannah/Hilton Head – Georgia, EUA

    O inusitado deste aeroporto no sudeste dos Estados Unidos está na sua pista de pouso, que abriga nada menos do que os túmulos dos antigos moradores da região, que costumava ser uma fazenda. Datado de 1857, o pequeno cemitério continua ali por decisão da família dos falecidos, que não deram autorização para a remoção dos corpos durante um processo de expansão da passarela.

    Divulgação
  • Aeroporto Internacional Rei Fahd – Dammam, Arábia Saudita

    A singularidade deste aeroporto está nos superlativos, dignos da realeza, como bem diz o seu nome. Além de ser o maior aeroporto do mundo em termos de terreno – são mais de 700 quilômetros quadrados de construção espalhada pelo deserto -, abriga um terminal inteiramente dedicado à família real saudita. A área separada conta até com uma enorme mesquita, capaz de reunir milhares de pessoas.

    Divulgação
  • Aeroporto Internacional de Don Mueang – Bangcoc, Tailândia

    Apesar de não superar a esquisitice de ter um mini cemitério na pista, este aeroporto tailandês também se destaca por um elemento inusitado na área de pouso e decolagem: no meio das duas faixas fica um campo de golfe com 18 buracos. Sem nenhuma barreira de separação das pistas, os jogadores devem ficar atentos a um sinal vermelho que acende quando uma aeronave está próxima de chegar.

    Wikimedia Commons/Andre Wadman
  • Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur – Malásia

    Quem sempre diz que aeroportos são estressantes nunca conheceu o de Kuala Lumpur. Seu diferencial está justamente na atmosfera mais tranquila, que usa da natureza para ter um toque zen. O auge é a mini floresta tropical no meio do terminal, com árvores de mais de 20 metros de diferentes espécies, jardins, teto de vidro e até uma cachoeira.

    Divulgação

Aeroporto Changi – Singapura

O Changi nunca foi um aeroporto qualquer. Muito pelo contrário. Ano após ano no topo da lista de melhores do mundo, ele abriga uma série de atrações que prometem fazer qualquer viajante esquecer que está ali só esperando o tempo passar. Entre suas exuberâncias estão um borboletário, piscina, cinema gratuito 24 horas, instalações de arte e jardins de flores.

Mas o empreendimento conseguiu elevar ainda mais o nível ao inaugurar, em 2019, seu complexo de luxo Jewel, que sedia nada menos do que a maior cachoeira interna do mundo (com show de luzes e sons à noite), uma floresta com 2.500 árvores e 100 mil arbustos, um espaço de recreação com escorregadores, uma rede suspensa e dois labirintos – um de espelhos e outro de plantas. Como se não bastasse, são mais de 160 lojas e 100 restaurantes em seu interior, além de um hotel com cerca de 130 quartos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: