As 9 melhores mercearias gourmet de Lisboa

Pequenos mercados têm vegetais orgânicos, pães, queijos, vinhos, além de produtos típicos, como atum curado, azeite e linguiças regionais.

Ann Abel
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Prado Mercearia e seu gerente, Carlos Duarte

Acessibilidade


O ano de 2020 foi aquele em que nos apaixonamos pela culinária, ou pelo menos nos alimentamos com boa comida em casa. Enquanto uma ida a uma mercearia gigantesca enchia muitos de nós de pavor, uma visita a uma pequena loja de bairro – onde poderíamos descobrir um novo queijo picante ou encontrar tomates perfeitos, sem mencionar que teríamos alguma interação humana com os proprietários – tornou-se algo pelo que ansiar.

E para muitas pessoas, esse amor pelos mercados gourmet não desapareceu, mesmo quando voltamos a ter mais oportunidades de vida social e jantares em restaurantes. Quando meus amigos internacionais começaram a visitar novamente Lisboa, minha cidade por adoção, no verão otimista de 2021, percebi que estava sendo questionada sobre os mercados locais (ou mercearias) com a mesma frequência que recebia perguntas sobre restaurantes.

LEIA TAMBÉM: Resort nas Ilhas Virgens Britânicas pode ser só seu a partir de R$ 236 mil a noite

Ao mesmo tempo, comecei a receber anúncios de abertura, ouvir recomendações de amigos locais e passar cada vez mais por essas lojinhas interessantes de guloseimas. Com a temporada de presentes no horizonte, parecia que era hora para uma visão geral. Confira:

Prado Mercearia
Nos últimos meses, a Prado Mercearia – adjacente ao Prado restaurante merecidamente elogiado do chef António Galapito – ganhou uma reputação entre os amantes da comida local como um bar de vinhos e bistrô, supervisionado por uma equipe rotativa de chefs convidados por Galapito e promovendo uma política de desperdício zero. Mas isso é secundário em relação ao seu objetivo original – fazer com que os produtos dos melhores produtores portugueses cheguem diretamente às mãos dos consumidores. Isso inclui vegetais orgânicos frescos, pão de longa fermentação, queijos de pequena produção e vinhos naturais.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Mercearia Criativa

Mercearia Criativa
A Mercearia Criativa – “a loja de alimentação criativa” – é uma mercearia tradicional, com produtos exclusivamente portugueses, todos confeccionados de forma artesanal, orgânica e criativa. Ou como dizem os donos, só vendem o que gostam. Entre as coisas de que gostam, está o atum curado de Vila Real Santo António, no Algarve, ostras da Ria Formosa, ouriços do mar da Ericeira e bolos dos Açores. Eles também servem refeições e organizam workshops sobre pão, vinho e jardinagem.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Mercearia Sto

Mercearia Sto
Neste novíssimo mercado do centro histórico de Lisboa, os proprietários procuram reavivar o espírito dos mercados de bairro que outrora foram os pilares da comunidade. Trouxeram Moisés Franco, chef que trabalhou ao lado do chef mais conhecido de Portugal, José Avillez (inclusive no Belcanto, com duas estrelas Michelin), para preparar refeições ligeiras e também para selecionar os produtos à venda, incluindo vinhos de baixa intervenção, pão de longa fermentação, queijos de pequena produção e compotas quase caseiras.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Manteigaria Silva

Manteigaria Silva
Ao lado de todos os novos mercados, alguns dos clássicos de longa data de Lisboa continuam a fazer o que fazem de melhor. A Manteigaria Silva abriu as suas portas pela primeira vez no centro histórico da cidade em 1890. Na época, a manteiga era um produto de luxo, vinha dos Açores, e foi o primeiro produto a ser vendido na loja. Agora, o inventário foi expandido para incluir presuntos curados, todos os tipos de salsichas, peixes enlatados de 100 produtores e queijos de todas as regiões do país.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Zaytouna

Zaytouna
A loja gourmet luso-palestina do mercado de Arroios é especializada em comida do Oriente Médio, importando produtos – alguns até então indisponíveis em Lisboa – da Jordânia, Líbano, Palestina e Síria. O nome significa “azeitona” em árabe. Eles acabaram de adicionar um balcão para levar na loja para refeições preparadas.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Comida Independente

Comida Independente
Nos últimos anos, esta loja se tornou um centro para os amantes da comida de bairro. Eles estão empenhados em descobrir as coisas mais saborosas dos produtores rurais e oferecê-las aos moradores da cidade. (Na preparação para o segundo lockdown devido à pandemia, ela criou um mercado de agricultores para ajudar os produtores a chegar aos clientes). Eles encontram os fabricantes de tudo o que vendem, de queijos a carnes curadas e vinhos de pequena produção.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Manuel Tavares

Manuel Tavares
Esta mercearia e loja de vinhos clássica, que data de 1860, orgulha-se de seu serviço amigável e pessoal – e orgulhosamente observa que alguns de seus clientes regulares têm quase 100 anos e os visitam desde que eram crianças. Uma visita à loja, na menor rua da zona histórica de Lisboa, parece um pouco uma viagem no tempo, com a sua mostra de frutos secos e cristalizados, queijos portugueses e linguiças tradicionais alentejanas.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Consi.go

Consi.go
Esta pequena loja conquistou meu coração com seu compromisso com alimentos que são orgânicos e “saborosos” durante todo o ano. (E também a escolha do nome de uma palavra em português que de alguma forma significa “com você” e “eu posso”.) Os proprietários, um português e um italiano, cresceram em casas de famílias que tinham quintal ajardinado, mas na época que se conheceram em Londres, tinham perdido aquela conexão com a comida fresca. E assim fixaram-se em Lisboa e abriram uma loja com a intenção de criar um espaço acolhedor onde os vizinhos pudessem encontrar as texturas, cores, cheiros e sabores do que vem da natureza.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Os donos do D’Olival mostram alguns de seus produtos

D’Olival
Como o nome sugere, o foco desta lojinha é o azeite, e tudo começou porque os proprietários estavam cansados ​​de ver o excelente azeite de Portugal ofuscado pelos produtos de seus vizinhos mediterrâneos. Agora eles compram seus azeites de todo Portugal, do Algarve a Trás-os-Montes, e também vendem uma variedade de artigos para a casa, como colheres de madeira feitas à mão, lindos sabonetes artesanais e tábuas de servir de madeira de oliveira.

Compartilhe esta publicação: